CONTATO

João Maciel Cel/WhatsApp: (68) 99987-8080 Email: joaomacieltk@gmail.com

sábado, 17 de abril de 2021

Na delegacia, mulher descobre que homem que a assediava era namorado de seu marido


Uma professora de 41 anos, casada, mãe de dois filhos, moradora de Curitiba, decidiu fazer a coisa certa e denunciar à polícia um homem que estava a assediando pelo celular. Fez em sigilo, sem o marido saber, porque ele é muito ciumento. O que ela não esperava, e descobriu durante a prisão do assediador, o pedreiro Jean Carlos Neves, 51 anos, é que o criminoso era parceiro sexual do marido dela há anos. Tanto Jean, quanto o marido da vítima, foram presos, pois juntos armaram toda a situação.

Os assédios começaram na quinta-feira (15) pela manhã. A mulher recebeu mensagens de cunho sexual no celular, com Jean querendo marcar encontro com ela. A professora ficou muito nervosa, sem saber o que fazer. Mas se acalmou e passou a trocar mensagens com ele, para entender melhor quem era o homem e o que estava acontecendo.

Nisso, ela decidiu chamar a polícia. Com medo de alguma reação do marido ciumento, não contou nada a ele. Entregou à polícia as mensagens, fotos, áudios de Jean a assediando e vídeos que ele mandou, tendo relações sexuais com diversos outros parceiros.

Com a orientação da polícia, a professora aceitou o encontro nesta sexta-feira (16). Para garantir que ia se encontrar com a pessoa certa, pediu foto de Jean e do carro que ele usaria. Então ela foi ao local e hora marcados, ao lado de uma loja de eletrodomésticos no Sítio Cercado, junto com uma amiga e com a polícia.

Assim que a mulher fez menção de entrar no carro dele, a polícia abordou o assediador. Ele foi preso em flagrante por crime de importunação sexual.

Surpresa constrangedora

Conforme o delegado Rinaldo Ivanike, do 10.º Distrito Policial da capital, enquanto os investigadores vasculhavam o celular de Jean, encontraram mensagens muito comprometedoras: ele era parceiro sexual do marido da vítima assediada. E foi o próprio marido que passou o telefone da professora a Jean, que a partir das coisas que o parceiro falava, também ficou com vontade de ter relações sexuais com a professora.

No fim das contas, os dois homens foram presos pela importunação sexual contra a professora. Jean, é morador de Fazenda Rio Grande e, assim com o parceiro sexual, também é casado e tem esposa.

A mulher, quando soube de tudo na delegacia, entrou em estado de choque e começou a chorar e falar incessantemente. Ela não sabe por qual motivo o marido fez isso com ela, nem porque cedeu seu telefone ao assediador. Mas disse que desconfia que o relacionamento extraconjugal do marido possa ter começado depois que o filho mais novo deles nasceu.

Assista na reportagem de Lúcio André a abordagem, as mensagens de celular e a descoberta da “surpresa” na delegacia:

sexta-feira, 16 de abril de 2021

Garota de programa é presa acusada de estuprar o ex



Jovem inseriu dedos e um vibrador no ânus do empresário e registrou tudo por fotos e vídeos. Mulher tinha diversas anotações criminais

Uma garota de programa foi presa em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, sob acusação de estupro contra o ex-namorado, um empresário de 29 anos.

Lidia Nayara de Azevedo, de 38, teria dopado e abusado do ex-namorado após convidá-lo para o apartamento em que ela mora, em meio a uma suposta reconciliação.

Em depoimento prestado na 13ª DP (Ipanema), a vítima contou que, depois de chegar à residência de Lidia, recebeu uma bebida adulterada e acabou dormindo por quase 24 horas.

Ele só despertou quando recebeu telefonemas da mãe, que revelou ter recebido fotos e vídeos enviados pela moça. Nas imagens, ela mostrava a sessão de abusos sexuais.

Segundo o jornal Extra, os dois namoravam desde novembro de 2016, entre idas e vindas. O relacionamento era marcado por muitas brigas.

Há, inclusive, registros de ocorrência feitos junto à polícia por conta de crimes da Lei Maria da Penha.

Durante o estupro, Lidia inseriu dedos e um vibrador no ânus do ex-namorado – tudo registrado por fotos e vídeos, que também foram postados em redes sociais e aplicativos de conversa. À polícia, a vítima afirmou que se sente “humilhado” por todo o ocorrido.

De acordo com o delegado Felipe Santoro, titular da 13ª DP, Lidia foi presa temporariamente pelo crime de estupro.

A jovem tem anotações por diversos crimes, como roubo e tentativa de homicídio. Ela foi encaminhada ao sistema prisional.

Mulher é atacada com facão após aceitar se encontrar com a ex do atual marido


A vítima disse que a acusada a chamou para conversar e ela sem imaginar que seria atacada foi até o local

Uma jovem que está completando 18 anos nesta quinta-feira (15) foi atacada a golpe de facão pela ex-mulher do atual marido.

O crime registrado pela Polícia Militar como lesão corporal ocorreu no bairro Jardim Santana, na zona Leste de Porto Velho (RO).

A vítima disse que a acusada a chamou para conversar e ela sem imaginar que seria atacada foi até o local.

A autora do crime logo iniciou discussão referente ao relacionamento que a vítima estava tendo com o ex-marido dela.

Na sequência, a acusada atacou a vítima com um golpe de facão na cabeça e saiu correndo.

A jovem ferida foi socorrida para uma unidade médica, mas sem risco de morte. A Polícia Civil segue apurando o crime.

WhatsApp: apps permitem que qualquer pessoa saiba com quem você está falando



Aplicativos exploram uma brecha de segurança no mensageiro mais usado no mundo

WhatsApp tem brecha de segurança

Aplicativos usam uma brecha do WhatsApp para saber os momentos em que um usuário esteve online.

Então, ele cruza essas informações com a de outro usuário e sugere em quais momentos eles conversaram.

Os sistemas são criminosos e incitam a violência, mas ainda não foram banidos.

A privacidade é um dos elementos mais requisitados no ambiente virtual. Mesmo com muitos aplicativos tornando-se mais seguros, os “stalkers” aproveitam brechas buscando informações sobre os usuários. Uma reportagem do site Traced revelou uma tática utilizada para saber com quem a pessoa fala no WhatsApp .

O recurso “visto por último” pode ser ativado e desativado a qualquer momento no mensageiro. No entanto, o status de “online” não pode ser removido. É justamente isso que é explorado. Basicamente, você fica como “online” sempre que o app está em primeiro plano, ou seja, aberto em seu celular.

O que acontece é que hoje existem apps terceiros, feitos especialmente para esses “ stalkers ”, que mapeiam os momentos em que um usuário fica online. Você digita o número que quer saber e ele começa a gravar todos os horários que essa pessoa entrou e saiu do WhatsApp , burlando completamente a privacidade dada pelo “visto por último” desligado.

Mas não para por aí, alguns serviços ainda permitem que você digite dois números e os horários de entrada e saída são comparados para você saber (ou pelo menos imaginar) que essas pessoas andaram conversando. Obviamente todos esses apps são ilegais e, em tese, deveriam estar banidos do Google Play e da App Store .
Saber com quem fala no WhatsApp

No entanto, esses serviços utilizam brechas nas lojas e se disfarçam como sendo feitos para outras coisas. Um deles, por exemplo, se descreve como um app feito para que os pais saibam com quem os filhos estão conversando, mas em nenhum momento é mencionado que isso é realizado através do WhatsApp . “Vamos ajudá-lo a acompanhar os status online e as últimas postagens de seus amigos, familiares e funcionários no WhatsApp”, diz outra descrição.

Isso pode ser usado tanto para “stalkers” que “apenas” desejam saber com quem você fala no WhatsApp (o que não deixar de ser perigoso), quanto por criminosos que podem chantagear as vítimas. “Aplicativos que usam os dados do WhatsApp para ajudar os abusadores a saber quando as vítimas estão offline ou online, colocam a vítima em situações terríveis de abuso ou violência. Esses aplicativos estão literalmente permitindo que os abusadores continuem a perseguir e controlar as pessoas. Eles nem estão escondendo. Está até nas mensagens de marketing. Está promovendo a violência”, disse Chloé Messdagh, especialista sem segurança, para o site Traced.

Até o momento não existe nenhuma forma de desativar esse recurso usado pelos criminosos para saberem com quem você fala no WhatsApp . A plataforma também ainda não se pronunciou sobre isso. Por enquanto, a solução indicada pelos especialistas para quem sofre esse tipo de perseguição é trocar o número e até mesmo denunciar para a polícia. Lembrando que recentemente o crime de “ stalking ” ganhou uma legislação própria no Brasil .

terça-feira, 13 de abril de 2021

Jovens acreanas lucram mais de R$ 3 mil em uma semana com conteúdo erótico



Ex-manicure conta que consegue se manter e realizar sonhos com dinheiro arrecadado com o novo trabalho

A jovem Juliana Queiroz, de 19 anos, é uma das duas acreanas que aderiram à plataforma. Ela tem lucrado alto comercializando conteúdo sensual na internet. Nesta terça-feira (13) a jovem conversou com o ContilNet e fez algumas revelações sobre o trabalho.
Juliana Queiroz,/Foto: arquivo pessoal

Anteriormente, Juliana trabalhava como manicure em um salão de beleza e se esforçava muito para conseguir pagar as contas. Hoje, a ex-manicure ganha bem mais do que ganhava no trabalho anterior e já conta algumas conquistas.

“Já superei o investimento que fiz, consegui mobiliar meu apartamento e realizar alguns sonhos. Com o que ganho hoje consigo suprir todas as necessidades de uma mulher”, disse.

Juliana Queiroz,/Foto: arquivo pessoal

Juliana conta, ainda, de onde surgiu o interesse em ganhar a vida com conteúdo sensual.

“O interesse veio quando vi algumas meninas de fora fazendo. Eu vi alí uma forma de ganhar dinheiro e resolvir começar”, conta.

Além de Juliana, uma outra jovem de Rio Branco também está presente na plataforma. O representante da Privacy no Acre, Silvio Júnior, é quem assessora as meninas. Ele revelou que uma delas chegou a arrecadar mais de R$ 3 mil em apenas uma semana.
Juliana Queiroz,/Foto: arquivo pessoal

“Uma das meninas já trabalhava com venda de conteúdo, mas de forma rudimentar, enviando conteúdo manualmente para os clientes. Ela aceitou o convite e agora faz parte do portfólio da Decole”, disse

Continlnet.

Padre anuncia estar apaixonado durante missa e deixa o posto



Padre disse que a decisão foi difícil de ser tomada, porque ele ama e respeita a Igreja

Padre disse que a decisão não foi fácil.

Um padre de 41 anos anunciou estar apaixonado no meio de uma missa e foi suspenso do posto na Itália . O padre Riccardo Ceccobelli, sacerdote da diocese de Todi disse que o coração dele "se apaixonou" e já iniciou os trâmites para voltar ao estado laico, informou um bispo. As informações são da agência de notícias AFP .

O comunicado da diocese diz que o padre Riccardo fez o anúncio ao seu superior, o bispo Gualtiero Sigismondi. "Meu coração se apaixonou. Nunca tive a possibilidade de trair as promessas que fiz, mas quero tentar viver esse amor".

"Agradeço a dom Riccardo por todo serviço prestado até agora. E, em primeiro lugar, envio-lhe meus mais sinceros votos para que esta decisão, tomada em plena liberdade como ele mesmo me disse, garanta-lhe paz e serenidade", afirmou o bispo Sigismondi.

De acordo com o padre, a decisão foi difícil de ser tomada, porque ele ama e respeita a Igreja. "Não consigo ser coerente, transparente e correto com (a Igreja) como tenho sido até agora", declarou em comunicado.

Apesar de ter avisado seu superior com antecedência, o anúncio público foi diante de seu rebanho e de seu bispo, durante a missa dominical. Segundo as informações do jornal Il Corriere della Sera, "todo mundo sabia" na cidade perto de Perugia que Riccardo estava ingressando em um relacionamento com uma mulher. Sua identidade não foi revelada.

IG.

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Pesquisadores, ex-ministros e ex-presidente do Inep divulgam carta aberta para denunciar 'apagão educacional'


Grupo protesta contra queda nos investimentos e falta de articulação do governo federal durante a pandemia.

Educadores divulgam carta aberta sobre problemas educacionais — Foto: Eduardo Paiva / TV Globo

Mais de 3 mil professores, pesquisadores, estudantes e ex-ministros divulgaram nesta quinta-feira (1º) uma carta aberta à sociedade brasileira, denunciando o risco de o Brasil viver um "apagão educacional". A iniciativa foi coordenada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Entre os signatários, estão: os ex-ministros da Educação Cristóvam Buarque (2003-2004) e Renato Janine Ribeiro (2015), e o ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Chico Soares (2014-2016).

Também assinaram o documento: especialistas em educação, como Priscila Cruz (Todos Pela Educação), Cláudia Costin (Fundação Getúlio Vargas), Ricardo Henriques (Instituto Unibanco) e Magda Soares (professora da UFMG); e ex-representantes de entidades do país, como Cleuza Repulho e Eduardo Sanches (União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação - Undime).

Entre outras questões, a carta critica:

a queda nos investimentos em educação;
a falta de coordenação do governo federal durante a pandemia;
a regulamentação da educação domiciliar como uma prioridade;
a ênfase em projetos conservadores e negacionistas;
o veto ao projeto de lei que buscava garantir internet a professores e alunos da rede pública

"O Brasil tem caminhado na contramão dessa trajetória de conquistas, promovendo a desarticulação entre diferentes entes federados e o desmonte das políticas construídas nos últimos trinta anos", afirma um trecho da carta.

"Neste momento de múltiplas crises, os prejuízos da falta de coordenação entre diferentes ações e do desmonte das políticas já em curso se traduzirá, em médio e longo prazos, em prejuízos ainda maiores para aqueles que historicamente foram excluídos do direito à educação."

O documento pede que, para evitar um "apagão educacional", o MEC respeite a Constituição, comprometa-se a reduzir as desigualdades sociais e tenha senso de urgência na resposta aos desafios educacionais impostos pela pandemia.

O G1 entrou em contato com a pasta, mas não recebeu retorno até a última atualização desta reportagem.

Enquanto população morre sem leitos, Lira aumenta 171% do reembolso de saúde para deputados


O valor de reembolso de gastos em saúde de parlamentares para tratamento cirúrgicos passará de R$50 mil para R$ 135 mil.

Enquanto a população sofre o avanço da Covid-19, da fome e da miséria, em Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, presidida pelo presidente da casa Arthur Lira (PP-AL), determinou que o valor de reembolso de parlamentares para tratamento cirúrgicos passará de R$50 mil para R$ 135 mil, um aumento de 171%.

A medida que entrou em vigor na última segunda-feira (29) teve como justificativa de Lira, no texto publicado em edição extra do Diário Oficial da Câmara (DOC), a defasagem dos valores, e que os serviços de saúde e a utilização de novas tecnologias justificaria o reajuste.

Esse é mais um absurdo vindo desta casta política que se rondeia de privilégios enquanto grande maioria da população tem que se enfrentar com a falta de leitos de UTI e respiradores, mas também com a miséria e o desemprego que já chega a 14,2%.

Com as altas nos preços e demissões em massa ocorrendo, um jantar modesto de um deputado em Brasília custa mais caro que o auxílio emergencial da população mais pobre deste país, sem bebidas incluídas. A cara de pau dos governantes, congressistas, militares e o próprio governo federal só não é maior que a necessidade de tirar do pobre para dar para o rico.

É preciso no mínimo um auxílio de salário mínimo, com proibição das demissões e que todos os trabalhadores de serviços não essenciais sigam sendo remunerados.

Influencer passa cola para fixar cabelos e precisa de cirurgia para tirar



Influencer passa cola para fixar cabelos e precisa de cirurgia para tirar
Não é por acaso que todo produto tem uma finalidade específica que deve ser respeitada

Passar cola no cabelo é uma típica ideia de uma criança curiosa. Mas dessa vez aconteceu com uma mulher adulta. A norte-americana Tessica Brown precisava de algum produto fixador para finalizar o seu penteado, pois o spray de cabelo tinha acabado. Então, ela pensou que uma cola em spray fosse uma ótima ideia.

Tessica achou que a cola iria sair do cabelo com a mesma facilidade que um spray fixador. Sendo assim, ela não economizou na cola, aplicando no cabelo inteiro. Na hora de remover, veio o desespero: depois de várias tentativas, a única solução era ir para o hospital.

A jovem chegou a fazer um vídeo para alertar as pessoas sobre a péssima ideia de aplicar esse tipo de cola no cabelo. “Meu cabelo está assim há cerca de um mês, não é minha escolha. […] Foi uma ideia muito, muito, muito ruim. Gente, meu cabelo não se move. Não se move! Eu lavei meu cabelo quinze vezes e ele não se move!”

Antes de se submeter a um procedimento cirúrgico para remoção da cola, Tessica pediu dicas aos seus seguidores e recebeu várias, com diferentes tipos de produtos que pudesse amolecer a cola, como dormir com óleo de coco e de melaleuca na cabeça. Mas, sem sucesso.

Depois de tanto tempo com o cabelo preso e repuxando, causando muita dor, a jovem chegou a cortar sua enorme trança na tentativa de aliviar a pressão no couro cabeludo. Mesmo quando ela foi ao pronto-socorro, nada que os médicos e enfermeiros usaram foi capaz de dissolver a cola.

Os seguidores chegaram a organizar uma campanha de arrecadação de dinheiro para que Tessica pudesse fazer uma cirurgia que custaria mais de 12 mil dólares. Foi aí que o cirurgião Michael Obeng entrou em cena, oferecendo-se para operar Tessica de graça.

De acordo com as informações do portal TMZ, que acompanhou a história de perto, Tessica foi para Los Angeles fazer a cirurgia que teve quatro horas de duração. Apesar do trabalho, o médico contou qual foi a solução encontrada: “Eu pesquisei a composição, e o ativo principal da Gorilla Glue (tipo de cola usada no cabelo de Tessica) é o poliuretano. Nós entendemos a ciência de como decompor isso […] e trouxemos substâncias que têm componentes capazes de dissolvê-lo”, disse ele.

Então Dr. Michael preparou a mistura solvente, composta por produtos sintéticos e naturais, e aplicou no cabelo de Tessica. Aos poucos a cola foi se soltando e o médico foi removendo com ajuda de instrumentos próprios.

Por fim, o médico deixou um alerta: “Ela tem muita, muita sorte de não ter sofrido muitas lesões no couro cabeludo. Esse tipo de situação não é uma brincadeira, ok? Lesões na cabeça, uma rigidez que pressiona o couro cabeludo todos os dias. Não dá para dormir. […] Ela passou por muita coisa e eu espero que vocês aprendam com a situação da Tessica”.

Erros e atrasos: governo entregou menos de 50% das vacinas prometidas para março



No mês mais mortal de toda a pandemia, Ministério da Saúde distribuiu apenas 20 milhões das 46 milhões de doses previstas; especialistas dizem que antecipação de negociações poderia ter compensado problemas

Ministério da Saúde distribuiu em março 20 milhões das 46 milhões de doses previstas

Segundo dados do portal Localiza SUS, a pasta distribuiu 20.321.310 de doses, quando havia prometido 46.033.200

Novo ministro, Marcelo Queiroga, já estimou que devem ser recebidas apenas 25,5 milhões em abril

Pasta argumentou que o cronograma é apenas uma previsão e está sujeito a alteração a depender dos laboratórios

Opção por contrato com apenas uma fornecedora e demora em ampliar acordos fez com que o país não tivesse reserva
Continua após a publicidade


No mês marcado pelo maior número de mortos no país desde o início da pandemia de Covid-19 , o Ministério da Saúde entregou aos estados menos da metade das doses de vacina que havia prometido para março. Segundo dados do portal Localiza SUS, a pasta distribuiu 20.321.310 doses aos estados, quando havia prometido 46.033.200 doses para o mês, em anúncio feito pelo ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello no dia 17 de fevereiro.

Nova frustração deve ocorrer em abril. A estimativa oficial mais recente ainda é de 47,3 milhões de doses , mas o novo ministro, Marcelo Queiroga, já estimou que devem ser recebidas apenas 25,5 milhões, sem detalhar os motivos.

Ao Globo, a pasta argumentou que o cronograma é apenas uma previsão e está sujeito a alteração a depender dos laboratórios. Especialistas na área indicam, no entanto, que o erro da pasta foi justamente não diversificar o número de fornecedoras para minimizar os riscos impostos por incidentes na produção.

Nesta quinta-feira (1), foram registradas mais 3.673 mortes em 24 horas, com o país alcançando 325.559 óbitos pela doença . Mais 89.459 pessoas foram diagnosticadas com infecção pelo vírus, totalizando 12.842.717 casos até agora. A média móvel de sete dias do número diário de mortes no país agora está em 3.119, o que representa aumento de 43% nas últimas duas semanas.

As previsões de entrega de doses de vacina têm sido descumpridas reiteradamente. No último cronograma divulgado, atualizado em 19 de março, havia a expectativa de que fossem entregues 38.097.600 doses até o final daquele mês, número bem maior ao efetivamente entregue .

A análise é de que o fato de o Ministério da Saúde ter optado no início por celebrar contrato com apenas uma fornecedora, o laboratório AstraZeneca em parceria com a Fiocruz, e ter demorado a ampliar os acordos com outras produtoras, como o Butantan, a Pfizer e a Johnson , fez com que o país não tivesse uma reserva para dar conta de atrasos de entrega, algo que podia ser esperado.

Uma das explicações para a queda acentuada em março está nas entregas feitas pela Fiocruz da vacina de Oxford. Foram apenas 2,8 milhões de doses ante uma previsão de 15 milhões . Houve frustração também no recebimento de imunizantes do consórcio Covax Facility, que entregou apenas 1 milhão das 2,9 milhões previstas para março. A pasta também esperava 8 milhões de doses da Covaxin, que teve registro negado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anteontem.

O cronograma para abril já sofreu redução oficial de 10 milhões de doses, estando agora fixado em 47.329.258 de unidades. Mas a estimativa dada pelo ministro em audiência na Câmara anteontem é de receber apenas 25,5 milhões.

O número previsto no cronograma oficial ainda leva em conta outras 8 milhões de doses da vacina Covaxin, além de 400 mil da Sputnik V , cujo processo está paralisado na Anvisa por falta de documentação.

Ontem, representantes da Organização Mundial da Saúde ( OMS ) informaram que a entrega de mais vacinas pela iniciativa Covax previstas paras os meses de abril e maio podem sofrer novos atrasos devido a problemas de fabricação na Índia e na Coreia do Sul. Ontem, foram distribuídas aos estados as primeiras 1.974.250 doses de vacinas de abril.
Demora na contratação

Em junho do ano passado, o Ministério da Saúde anunciou o contrato para a produção da vacina de Oxford, que teve a assinatura formal da Fiocruz em setembro. Novas aquisições, porém, só ocorreram em 2021, sendo que, no fim do ano, o presidente Jair Bolsonaro chegou a anunciar que não compraria o imunizante CoronaVac, produzido pelo Butantan. Somente em janeiro, pouco antes da aprovação das primeiras vacinas pela Anvisa (Oxford e CoronaVac), a pasta assinou contrato com o Butantan, responsável pela maior parte das entregas até agora.

Em fevereiro, a pasta firmou acordo com o laboratório Precisa Medicamentos, que distribui a vacina indiana Covaxin . Em março, após meses de negociação, assinou com a União Química, produtora da Sputnik V, com a Pfizer e com a Johnson & Johnson. O país também tenta aumentar a participação na iniciativa Covax.

Para o ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão , o Ministério da Saúde não pode se isentar de responsabilidade no descumprimento do cronograma. Segundo ele, “erros grosseiros” e omissão explicam a crise atual.

"Se tivéssemos sentado com Butantan e Bio-Manguinhos (Fiocruz) e planejado de maneira conjunta e articulada; se tivéssemos optado por 20% da população em número de doses no Covax Facility da OMS e não por 10%; e se tivéssemos comprado e reservado doses dos outros laboratórios, teríamos em janeiro começado a vacinar 2 milhões de pessoas por dia. Não tem nenhum sentido o Ministério dizer que foi inesperado, algo do qual não tem controle. Negativo. As digitais do governo federal, do Ministério da Saúde e do presidente estão nesse problema", criticou.

Especialistas citam ainda entraves na produção de vacinas em solo nacional, como dificuldades na importação de insumo farmacêutico ativo ( IFA ), matéria-prima para os imunizantes.

"O problema é que o Ministério fez uma previsão irreal. Por exemplo, nos contratos de Bio-Manguinhos ( Fiocruz ), tinha uma previsão de 15 milhões de doses por mês, mas o IFA não chegou no Brasil. O Ministério colocou no cronograma a vacina da Covaxin, que teve pedido de importação negado pela Anvisa. Temos uma vacinação lenta porque chega pouca vacina, não tem vacina. Foi um erro estratégico", analisou a epidemiologista Carla Domingues, que esteve à frente do Programa Nacional de Imunização ( PNI ) por oito anos, dizendo ainda que não há garantia de que a vacinação não seja interrompida pela falta de doses.

Até agora, o Brasil aplicou a primeira dose em 18.584.301 pessoas (8,78% da população), e 5.223.544 já receberam a segunda dose, o que representa uma cobertura completa de 2,47%. Os grupos prioritários totalizam cerca de 77,2 milhões de pessoas.

Auxílio emergencial: lista de quem tem direito abre hoje; saiba como consultar



Pagamento do benefício começa dia 6 de abril

Confira abaixo o calendário completo do auxílio emergencial

Os trabalhadores poderão saber a partir de hoje se receberão a nova rodada do auxílio emergencial . A previsão inicial do governo era que a consulta poderia ser feita ontem, mas a liberação para saber quem terá direito ao benefício foi adiada para esta sexta-feira (2). O Ministério da Cidadania informou que o sistema online para consultas ainda está sendo finalizado e que nesta sexta-feira (dia 6) a consulta estará disponível pela página do ministério e também pelo site da Dataprev e pela Caixa .

Para verificar se vai receber o dinheiro a partir do dia 6 de abril, o trabalhador deve consultar a página da Dataprev, informando o CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. Também poderá ser feita pelo site da Caixa, no portal auxilio.caixa.gov.br ou pelo telefone 111.

Só são elegíveis à nova rodada de pagamentos os trabalhadores que tinham o direito reconhecido ao auxílio em dezembro do ano passado.
Na lista

A Dataprev informou que mais de 40,4 milhões de cidadãos tiveram os resultados da elegibilidade processados nessa primeira etapa. Segundo o governo, estarão na primeira lista de beneficiados todo o público do Bolsa Família, além dos brasileiros que estavam cadastrados para receber o auxílio até dezembro de 2020, com exceção dos que foram excluídos após o ministério verificar que não havia conformidade com o público-alvo. Não serão abertas novas inscrições, mas será aberto um canal para contestações. O retorno do benefício será em quatro parcelas, com valores específicos conforme o perfil de quem recebe.

O valor médio dessa rodada é de R$ 250, mas pode variar de R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família. O crédito da primeira parcela será feito em conta poupança para os trabalhadores a partir de 6 de abril, para nascidos em janeiro, até 30 de abril, nascidos em dezembro. O saque em dinheiro da primeira parcela, no entanto, será autorizado depois, entre 4 de maio e 4 de junho.

Pagamento

O crédito da primeira parcela será feito em conta poupança para os trabalhadores a partir de 6 de abril, para nascidos em janeiro, até 30 de abril, nascidos em dezembro. O saque em dinheiro da primeira parcela, no entanto, será autorizado depois, entre 4 de maio e 4 de junho.
Continua após a publicidade


A segunda parcela para os informais será creditada entre os dias 16 de maio e 16 de junho, e o saque, autorizado de 8 de junho até 8 de julho, conforme o mês de nascimento.

Entre os dias 20 de junho e 21 de julho, os informais terão o crédito referente à terceira parcela, e a partir 13 de julho até 12 de agosto, poderão retirar o dinheiro.

A última parcela será creditada entre 23 de julho e 22 de agosto, e o saque, autorizado entre 13 de agosto e 10 de setembro.
Veja o calendário completo

Parcela 1

Beneficiários fora do Bolsa Família (crédito em conta digital) - divisão por mês de aniversário
Continua após a publicidade

Janeiro - 06/04 | Terça-feira
Fevereiro - 09/04 | Sexta-feira
Março - 11/04 | Domingo
Abril - 13/04 | Terça-feira
Maio - 15/04 | Quinta-feira
Junho - 18/04 | Domingo
Julho - 20/04 | Terça-feira
Agosto - 22/04 | Quinta-feira
Setembro - 25/04 | Domingo
Outubro - 27/04 | Terça-feira
Novembro - 29/04 | Quinta-feira
Dezembro - 30/04 | Sexta-feira
Beneficiários fora do Bolsa Família (saque em dinheiro) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 04/05 | Terça-feira
Fevereiro - 06/05 | Quinta-feira
Março - 10/05 | Segunda-feira
Abril - 12/05 | Quarta-feira
Maio - 14/05 | Sexta-feira
Junho - 18/05 | Terça-feira
Julho - 20/05 | Quinta-feira
Agosto - 21/05 | Sexta-feira
Setembro - 25/05 | Terça-feira
Outubro - 27/05 | Quinta-feira
Novembro - 01/06 | Terça-feira
Dezembro - 04/06 | Sexta-feira
Beneficiários do Bolsa Família (saque em dinheiro)
NIS final 1 - 16/04 | Sexta-feira
NIS final 2 - 19/04 | Segunda-feira
NIS final 3 - 20/04 | Terça-feira
NIS final 4 - 22/04 | Quinta-feira
NIS final 5 - 23/04 | Sexta-feira
NIS final 6 - 26/04 | Segunda-feira
NIS final 7 - 27/04 | Terça-feira
NIS final 8 - 28/04 | Quarta-feira
NIS final 9 - 29/04 | Quinta-feira
NIS final 0 - 30/04 | Sexta-feira
Parcela 2
Beneficiários fora do Bolsa Família (crédito em conta digital) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 16/05 | Domingo
Fevereiro - 19/05 | Quarta-feira
Março - 23/05 | Domingo
Abril - 26/05 | Quarta-feira
Maio - 28/05 | Sexta-feira
Junho - 30/05 | Domingo
Julho - 02/06 | Quarta-feira
Agosto - 06/06 | Domingo
Setembro - 09/06 | Quarta-feira
Outubro - 11/06 | Sexta-feira
Novembro - 13/06 | Domingo
Dezembro -16/06 | Quarta-feira
Beneficiários fora do Bolsa Família (saque em dinheiro) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 08/06 | Terça-feira
Fevereiro- 10/06 | Quinta-feira
Março - 15/06 | Terça-feira
Abril - 17/06 | Quinta-feira
Maio - 18/06 | Sexta-feira
Junho - 22/06 | Terça-feira
Julho - 24/06 | Quinta-feira
Agosto - 29/06 | Terça-feira
Setembro - 01/07 | Quinta-feira
Outubro - 02/07 | Sexta-feira
Novembro - 05/07 | Segunda-feira
Dezembro - 08/07 | Quinta-feira
Beneficiários do Bolsa Família (saque em dinheiro)
NIS final 1 - 18/05 | Terça-feira
NIS final 2 - 19/05 | Quarta-feira
NIS final 3 - 20/05 | Quinta-feira
NIS final 4 - 21/05 | Sexta-feira
NIS final 5 - 24/05 | Segunda-feira
NIS final 6 - 25/05 | Terça-feira
NIS final 7 - 26/05 | Quarta-feira
NIS final 8 - 27/05 | Quinta-feira
NIS final 9 - 28/05 | Sexta-feira
NIS final 0 - 31/05 | Segunda-feira
Parcela 3
Beneficiários fora do Bolsa Família (crédito em conta digital) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 20/06 | Domingo
Fevereiro - 23/06 | Quarta-feira
Março - 25/06 | Sexta-feira
Abril - 27/06 | Domingo
Maio - 30/06 | Quarta-feira
Junho - 04/07 | Domingo
Julho - 06/07 | Terça-feira
Agosto - 09/07 | Sexta-feira
Setembro - 11/07 | Domingo
Outubro - 14/07 | Quarta-feira
Novembro - 18/07 | Domingo
Dezembro - 21/07 | Quarta-feira
Beneficiários fora do Bolsa Família (saque em dinheiro) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 13/07 | Terça-feira
Fevereiro - 15/07 | Quinta-feira
Março - 16/07 | Sexta-feira
Abril - 20/07 | Terça-feira
Maio - 22/07 | Quinta-feira
Junho - 27/07 | Terça-feira
Julho - 29/07 | Quinta-feira
Agosto - 30/07 | Sexta-feira
Setembro - 04/08 | Quarta-feira
Outubro - 06/08 | Sexta-feira
Novembro - 10/08 | Terça-feira
Dezembro - 12/08 | Quinta-feira
Beneficiários do Bolsa Família (saque em dinheiro)
NIS final 1 - 17/06 | Quinta-feira
NIS final 2 - 18/06 | Sexta-feira
NIS final 3 - 21/06 | Segunda-feira
NIS final 4 - 22/06 | Terça-feira
NIS final 5 - 23/06 | Quarta-feira
NIS final 6 - 24/06 | Quinta-feira
NIS final 7 - 25/06 | Sexta-feira
NIS final 8 - 28/06 | Segunda-feira
NIS final 9 - 29/06 | Terça-feira
NIS final 0 - 30/06 | Quarta-feira
Parcela 4
Beneficiários fora do Bolsa Família (crédito em conta digital) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 23/07 | Sexta-feira
Fevereiro - 25/07 | Domingo
Março - 28/07 | Quarta-feira
Abril - 01/08 | Domingo
Maio - 03/08 | Terça-feira
Junho - 05/08 | Quinta-feira
Julho - 08/08 | Domingo
Agosto - 11/08 | Quarta-feira
Setembro - 15/08 | Domingo
Outubro - 18/08 | Quarta-feira
Novembro -20/08 | Sexta-feira
Dezembro - 22/08 | Domingo
Beneficiários fora do Bolsa Família (saque em dinheiro) - divisão por mês de aniversário
Janeiro - 13/08 | Sexta-feira
Fevereiro - 17/08 | Terça-feira
Março - 19/08 | Quinta-feira
Abril - 23/08 | Segunda-feira
Maio - 25/08 | Quarta-feira
Junho - 27/08 | Sexta-feira
Julho - 30/08 | Segunda-feira
Agosto - 01/09 | Quarta-feira
Setembro - 03/09 | Sexta-feira
Outubro - 06/09 | Segunda-feira
Novembro - 08/09 | Quarta-feira
Dezembro - 10/09 | Sexta-feira
Beneficiários do Bolsa Família (saque em dinheiro)
NIS final 1 - 19/07 | Segunda-feira
NIS final 2 - 20/07 | Terça-feira
NIS final 3 - 21/07 | Quarta-feira
NIS final 4 - 22/07 | Quinta-feira
NIS final 5 - 23/07 | Sexta-feira
NIS final 6 - 26/07 | Segunda-feira
NIS final 7 - 27/07 | Terça-feira
NIS final 8 - 28/07 | Quarta-feira
NIS final 9 - 29/07 | Quinta-feira
NIS final 0 - 30/07 | Sexta-feira

VEJA TAMBÉM