quarta-feira, 18 de janeiro de 2023

Raspar a língua, tomar colágeno e 'shot para imunidade': veja mitos e verdades sobre hábitos que bombam na web


Seja em prol da estética ou da saúde, muitas atitudes tidas como saudáveis sequer têm comprovação científica.

A rotina na internet de várias influenciadoras começa de maneira bem parecida: entram nas redes sociais, tomam café e mostram o dia a dia. Logo pela manhã, exibem ao acordar seus hábitos e rituais - propagandeados como saudáveis. Uns dos mais comuns envolvem raspar a língua, esfoliar o corpo, tomar um "shot para a imunidade" e ingerir colágeno. Mas, afinal, será que funcionam de verdade?


Veja abaixo o que é mito e o que contribui de fato para a saúde, de acordo com os especialistas.

Raspar a língua: VERDADE ✅

A influencer Mariana Goldfarb, que conta com mais de um milhão de seguidores, é uma das adeptas de raspar a língua com raspadores.


De acordo com a cirurgiã-dentista Gabriela Nicolellis, a prática é mais eficiente do que apenas escová-la e diminui em até 75% a chance de desenvolver mau hálito.

Dentista explica que esse hábito ajuda a eliminar o mau hálito. — Foto: Reprodução/Instagram

Isso porque na língua fica depositada a saburra, a sujeira branca que contém restos de comida, gordura, células descamadas, proteínas e bactérias.

O material do utensílio não faz diferença no resultado. Pode ser de plástico, cobre ou metal, tanto faz.

O importante é raspar após a higiene bucal, de trás para frente em linha reta para retirar a saburra. Ao fim, enxaguar a boca.
Entre os principais benefícios estão evitar mau hálito, cárie, doenças periodontais, alterações no paladar e doenças oportunistas como o sapinho.
É recomendado raspar duas vezes ao dia, ao acordar e à noite, antes de dormir, já que, durante o sono, há diminuição do fluxo salivar, aumentando a quantidade de bactérias.

Tomar colágeno: MITO ⛔



Balinhas de goma com colágeno não contém a quantidade necessária da substância para beneficiar a saúde. — Foto: Reprodução/Freepik

Vendidos em forma de balinhas de goma, cápsulas e em pó para a diluição em água, o colágeno é tratado por influenciadoras como substância capaz de melhorar o viço da pele.

No entanto, a dermatologista Patrícia Trigo, do Hospital Sepaco, explica que não há estudos demonstrando que ingerir colágeno melhora a aparência.

O efeito é a nível celular, hidratando as células. Geralmente, ortopedistas indicam para idosos porque pode melhorar as cartilagens, mas é só.
— Patrícia Trigo, dermatologista do Hospital Sepaco.

Ela ressalta que ingestão da substância sobrecarrega os rins e, caso seja recomendada pelo médico, deve ser como complemento de uma alimentação balanceada.
Para fazer efeito, é preciso tomar por, no mínimo, seis meses e 10 gramas por dia. Essa é a quantidade que costuma vir em sachês.

A quantidade de colágeno em "gominhas" ou cápsulas é muito menor do que o indicado para consumo diário. Ou seja, não funciona.

Esfoliação a seco: MITO ⛔


Fazer esfoliação sem a recomendação médica pode sensibilizar a pele. — Foto: Reprodução/Freepik


Já a esfoliação a seco, feita com buchas ou até escovas especiais para isso, não é indicada. A dermatologista Patrícia Trigo explica que esse método pode deixar a pele sensível e agravar questões preexistentes, como ressecamento e espinhas.

Esse tipo de procedimento parece simples, mas precisa ser feito conforme a indicação de um médico, de acordo com o tipo de pele do paciente.

'Shot da imunidade': MITO ⛔

O chamado "shot da imunidade", em geral, é uma mistura de água, limão espremido, própolis e especiarias, como cúrcuma, canela ou gengibre. Influenciadoras costumam tomar em jejum um copo pequeno desse por dia. O gosto pode fazer muitos torcerem o nariz e, segundo especialistas, não tem nenhum efeito na imunidade.


O 'shot' sozinho não faz milagres pela saúde, sendo apenas parte de um estilo de vida saudável. — Foto: Reprodução/Pexels

Larissa Cau Carlet, imunologista membro da Doctoralia, explica que esse tipo de preparado não interfere no funcionamento do organismo, e não há pesquisas que comprovem a eficácia.

"Uma alimentação baseada em alimentos muito gordurosos ou com altas doses de bebidas alcoólicas não será compensada com um shot matinal. É algo que leva tempo e exige mudança de hábitos", diz.

De acordo com a médica, em caso de suspeita de uma doença imunológica, é preciso fazer uma avaliação com um especialista para entender o funcionamento dos órgãos e das células do indivíduo

"Imunodeficiências e outras doenças potencialmente graves e fatais requerem tratamentos qualificados", afirma.

Já Telma Sigolo, nutróloga do Hospital Albert Sabin de SP, explica que a cúrcuma tem efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, e é comumente usada por pessoas com doenças reumáticas ou idosos que enfrentam dores crônicas.

"O consumo em jejum pode facilitar a ação anti-inflamatória porque você potencializa a absorção dos nutrientes, mas um ingrediente sozinho não resolve a vida. Precisa estar dentro de um contexto de vida saudável e equilibrada", explica.

terça-feira, 17 de janeiro de 2023

CNM critica reajuste de piso salarial de professores e orienta prefeitos a ignorar aumento


Entidade diz que o critério para o aumento não tem validade jurídica. MEC anunciou aumento de quase 15% no mínimo pago por prefeituras e estados a profissionais da educação básica.

Ministro da Educação anuncia reajuste de quase 15% no piso salarial dos professores

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) criticou nesta terça-feira (17) o reajuste do piso salarial dos professores oficializado pelo Ministério da Educação (MEC) e, pelo segundo ano seguido, voltou a orientar os gestores municipais a ignorar o aumento anunciado pelo governo federal.

"O impacto torna ingovernável. Estamos orientando os municípios a não concederem, por mais que entendamos como importante. Esse montante inviabiliza a educação no Brasil. Aí, nós vamos ver o MEC apresentando grandes projetos para salvar a educação no Brasil, enquanto tira esse valor dos municípios", declarou o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

O MEC anunciou na segunda (16) um aumento de quase 15% no mínimo pago a professores da educação básica. O piso – que será atualizado de R$ 3.845,63 para R$ 4.420,55 – é definido pelo governo federal, mas o pagamento é feito pelas prefeituras e governos estaduais.

Para a CNM, o custo total desse reajuste pode impactar a gestão educacional no Brasil e agravar a situação fiscal dos municípios. A estimativa, divulgada pelo presidente da entidade, é de que o aumento custe R$ 19,4 bilhões anualmente aos municípios.

"É importante, sim, o piso, mas sabemos que não é assim [que deve ser concedido]. Tem que ter o piso, tem que valorizar o magistério, mas não desse jeito", declarou.

"Se o município quiser cumprir, dar 80% de reajuste, ele pode. Agora, se isso vai acabar com a educação, com as contas públicas dele, é problema dele."

A entidade ainda argumenta que a atualização do salário-base não tem respaldo jurídico. Segundo técnicos da confederação, o critério utilizado perdeu validade com o início da vigência da lei que criou o novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) – entenda abaixo.

"Nosso entendimento, e da própria AGU, é de que a lei foi revogada. O critério de reajuste do piso não tem eficácia legal e persiste a insegurança jurídica devido ao vácuo legislativo na definição do novo critério de reajuste", afirmou Ziulkoski.

O reajuste do piso salarial do magistério (profissionais com formação em magistério em nível médio e carga horária de trabalho de 40 horas semanais) é concedido anualmente em janeiro. É calculado com base na comparação do valor anual por aluno do Fundeb dos dois últimos anos.

Entre 2021 e 2022, a variação registrada foi de 14,95% – exatamente a atualização oficializada pelo governo federal.

Para a CNM, a correção do piso deveria seguir o acumulado de 2022 do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que totalizou 5,93%.

Impasse jurídico

O entendimento da CNM é de que a lei do piso, sancionada por Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2008, está vinculada ao antigo Fundeb – revogado em 2020 – e, por essa razão, não seria mais válida.

Em 2020, a emenda constitucional que estabeleceu caráter permanente ao Fundeb mudou a nomenclatura dada ao valor anual por aluno e revogou a lei em vigência que tratava do fundo.

Para os técnicos da CNM, a lei do piso salarial do magistério faz referência à nomenclatura e descrição anteriores do critério. Além disso, por não ter sido atualizado, o trecho que trata da maneira com o qual o reajuste deve ser feito também faz referência à lei anterior, revogada com a emenda à Constituição.

Esses argumentos foram utilizados pela entidade para questionar o reajuste concedido em 2022, após represamento em 2021 pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). À época, a consultoria jurídica do MEC concordou com a tese e apontou que seria necessária nova regulamentação sobre o tema.

Pesquisa feita pela CNM aponta que, em 2022, quase 1,8 mil municípios pagaram reajustes diferentes do anunciado pelo governo federal.

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), representante dos profissionais da educação, discorda do posicionamento da CNM. Segundo a entidade, a lei do piso mínimo segue válida e o reajuste deve ser imediato.

A CNTE argumenta que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a constitucionalidade dos critérios de reajuste em 2021, quando a emenda à Constituição que gerou, na avaliação da CNM, uma insegurança jurídica já havia sido promulgada.

Resolução no Congresso

A CNM defende que as prefeituras não são obrigadas a dar o reajuste. A entidade afirma que os gestores devem ter cautela ao conceder os aumentos.

A confederação também defende que o Congresso Nacional discuta um novo regulamento para as atualizações. Para Ziulkoski, é preciso criar uma legislação que modernize os critérios de aumento do piso, mas considerando as realidades municipais.

“Acho que vai ter que vir da fonte do recurso para pagar. Essa lei tem que ser construída para que cada município conceda, na sua realidade, o aumento”, disse.

Segundo ele, ainda não houve um convite para um diálogo por parte do governo federal. "O governo não nos convidou para discutir nada até agora. Já passamos aí 60 dias da transição”, afirmou. "Se houvesse um diálogo mínimo, poderíamos construir uma solução juntos.”

TARAUACÁ: GRANDE FINAL DO FUTEBOL NO ESTADIO NABORZÃO PRAIA X BOM DE BOLA NESTE SABADO (21)

Grande final neste Sábado, do Campeonato Municipal de Futebol de Campo 2022 término 2023.

Em homenagem a Edmilson Jansen

Local: Estádio Municipal Naborzão

Praia  x  Bom de Bola

Sorteios

1º Sorteio R$ 50,00 em dinheiro

2º Sorteio Uma Cesta Básica Com Frango

3º Sorteio Uma Bola de Campo Kagiva

4º Sorteio Uma Cesta Básica Com Frango

quinta-feira, 5 de janeiro de 2023

Cometa que passou pela última vez na órbita terrestre há 50 mil anos será visível no Hemisfério Sul em fevereiro


O cometa C/2022 E3 (ZTF) foi descoberto em março do ano passado pela Nasa.

Cometa C/2022 E3 (ZTF) — Foto: Reprodução/NASA/Dan Bartlett

Um cometa recentemente descoberto pela Nasa passará novamente pela órbita terrestre depois de 50 mil anos, segundo informações da agência espacial norte-americana. No Hemisfério Sul, ele poderá ser visto em fevereiro.


Na última vez em que o cometa C/2022 E3 (ZTF) passou, a Terra ainda era habitada pelos neandertais, ancestrais da espécie humana.

O cometa terá a forma de uma pequena mancha leitosa no céu noturno e provavelmente poderá ser visto a olho nu em áreas sem poluição luminosa.

Descoberto por astrônomos em março de 2022, ele foi capturado pela câmera acoplada ao Telescópio Samuel Oschin no Observatório Palomar, na Califórnia (EUA). Na época, ele estava dentro da órbita de Júpiter.

"Os cometas são notoriamente imprevisíveis, mas, se este continuar com sua tendência atual de brilho, será fácil detectá-lo com binóculos, e é possível que se torne visível a olho nu sob o céu escuro", afirmou a Nasa.

Embora ele só poderá ser visto em fevereiro no Hemisfério Sul, para quem estiver no hemisfério norte, será possível vê-lo usando binóculos ou um pequeno telescópio antes do amanhecer já durante este mês.

No dia 12 de janeiro, ele estará em seu ponto mais próximo do Sol e, no dia 1° de fevereiro, estará mais próximo da Terra, a 42,5 milhões de km.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2022

Larissa Riquelme ressurge e promete posar nua caso Brasil vença a Copa



A modelo paraguaia, que fez sucesso na edição de 2010, quer título da seleção nacional

Larissa Riquelme ressurge e promete posar nua caso Brasil vença a Copa

A modelo paraguaia Larissa Riquelme, que ficou famosa na Copa do Mundo de 2010 - quando apareceu nas arquibancadas da África do Sul com o celular entre os seios -, reapareceu e prometeu um novo ensaio nu, caso o Brasil leve o título no Catar.

"Se o Brasil chegar a ganhar o Mundial do Catar 2022, eu acho que sim, vou fazer uma super super promessa. Se o Brasil ganhar, vou voltar a posar como Deus me trouxe ao mundo", disse Larissa Riquelme, em entrevista ao Superesportes.











Foto: Instagram

A modelo ainda justificou a torcida. "Escolhi o Brasil porque amo, e o Brasil para mim é tudo! É um país que me acolheu como uma celebridade, que me acolheu como brasileira e todo mundo sabe que eu sempre torço pelo Brasil há muitos anos. Sou fanática pela Seleção Brasileira e pelo país. Então, vou com o Brasil", apontou.

Atualmente com 37 anos, ela conta com mais 1,8 milhão de seguidores no Instagram e, além de trabalhar como influenciadora digital, também é atriz na TV Paraguai.

Vale lembrar que, em 2019, Larissa Riquelme esteve no Brasil durante a Copa América. Na última edição, por conta da pandemia, a influenciadora digital permaneceu no Paraguai.

Atualmente, ela é casada com o ex-jogador argentino Jonathan Fabbro, que está preso após ser condenado a 14 anos de detenção por estuprar a afilhada menor de idade. Apesar do escândalo, a paraguaia continua à espera que o marido cumpra a pena

Pesquisa: 20% das pessoas nunca ficaram mais de uma semana sem sexo



Recomendação médica é o único motivo pelo qual os brasileiros aceitariam não transar

Pesquisa: 20% das pessoas nunca ficaram mais de uma semana sem sexo

Recomendação médica é o único motivo pelo qual os brasileiros aceitariam não transar

O assunto mais comentado nos últimos dias é, sem dúvida, a Copa do Mundo do Catar. Quando se fala em campeonatos esportivos, é muito comum entrar para a pauta a vida particular dos jogadores, incluindo a sexual, já que durante a competição, há a recomendação de não realizar esse tipo de atividade.

Entre no canal do iG Delas no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre beleza, moda, comportamento, sexo e muito mais !


Por outro lado, especialmente nesta Copa, o assunto também veio à tona por conta da proibição do sexo antes do casamento por motivos religiosos no país-sede dos jogos. Aproveitando o momento, a plataforma Sexlog fez uma pesquisa entre os seus usuários sobre a prática de jejum no sexo.

Questionados sobre o período em que já ficaram sem transar, 20,41% das pessoas garantem que nunca passaram mais de uma semana sem fazer sexo. Já 28,88% dos entrevistados dizem que já ficaram, mas que esse período não passou de uma ou duas semanas.

Já 16,55% afirmam que a ausência de sexo durou entre três e quatro semanas, enquanto a maioria, 34,15%, aponta que chegou a ficar mais de quatro semanas sem ter contato sexual com alguém.
Motivos para não transar

A recomendação médica é o único motivo que os respondentes concordaram em aceitar para dar uma pausa na transa. Entre os participantes, 77,54% disseram "sim", e 22,46%, "não".

Os usuários do Sexlog não acreditam que o jejum no sexo pode trazer algum benefício para o corpo. Quando questionados a respeito, foram 90,14% de respostas negativas, contra 9,86% dizendo "sim". Também não concordam que a falta da prática possa ser benéfica para qualquer outra área da vida. Neste ponto, foram 58,77% respondendo negativamente. A minoria (13,03%) acredita que sim, enquanto os demais (28,20%) falaram que só aceitariam se tivesse alguma comprovação científica do benefício.

Se o motivo da abstinência for decisão do parceiro, a maioria (64,48%) disse que não aceitaria, enquanto 35,52% falaram que seria "tranquilo". No caso de motivos religiosos, a quantidade de respostas negativas também foi maior, totalizando 69,56%, contra 30,44%, que responderam aceitar não fazer sexo por conta da religião.

A amostra foi composta por mais de 13 mil pessoas. Desse total, a maioria (67,40%) se identifica como homem cis; 5,99% como mulher cis; 24,44% são casais formados por homem e mulher; 1,23% são casais entre mulher e mulher; 0,19% são casais entre homem e homem; e 0,75% são transexuais.

quinta-feira, 3 de novembro de 2022

Fim de sigilo de 100 anos? As decisões de Lula que poderão afetar Bolsonaro após posse



Entenda as decisões que o presidente eleito tomará e como elas podem impactar o futuro ex-presidente.

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, já deixou claro que pretende derrubar com rapidez os sigilos de cem anos que o governo de Jair Bolsonaro adotou sobre uma série de informações, como o cartão de vacinação do presidente ou as vezes que seus filhos estiveram no Palácio do Planalto.

"Eu vou ganhar as eleições, e quando chegar dia primeiro de janeiro, eu vou pegar seu sigilo e vou botar o povo brasileiro para saber por que você esconde tanta coisa. Afinal de contas, se é bom, não precisa esconder", prometeu o petista, no debate do segundo turno da TV Bandeirantes.

Além do fim desses sigilos, outras decisões do próximo governo também poderão afetar a família Bolsonaro, como a troca de comando da Polícia Federal e a escolha do novo Procurador-Geral da República em setembro do próximo ano. O presidente enfrenta acusações de ter interferido nessas instituições para evitar investigações contra si e seus filhos.

Entenda melhor a seguir as decisões que Lula tomará e como elas podem impactar o futuro ex-presidente.

Sigilo de cem anos

A imposição de sigilo de um século ocorreu em situações que ganharam destaque durante o governo Bolsonaro, como nesses quatro casos:

O cartão de vacinação de Bolsonaro foi colocado em sigilo, em meio à pandemia de Covid-19 e no contexto de que o presidente questionava eficácia e segurança dos imunizantes;
O governo determinou sigilo de cem anos sobre informações dos crachás de acesso ao Palácio do Planalto emitidos em nome dos filhos Carlos Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro;
A Receita Federal impôs sigilo de cem anos no processo que descreve a ação do órgão para tentar confirmar uma tese da defesa do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente, sobre a origem do caso das "rachadinhas";
O Exército impôs sigilo de cem anos no processo que apurou a ida do general da ativa e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello a um ato no Rio de Janeiro com o presidente Jair Bolsonaro e apoiadores do governo.

As decisões de manter o tema em sigilo são feitas em resposta a pedidos apresentados por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), geralmente sob alegação de que documentos continham informações pessoais.

Também há casos em que o governo tentou manter a informação secreta e depois mudou de ideia — como os dados sobre visitas ao Palácio do Planalto de pastores suspeitos de favorecer a liberação de verbas do Ministério da Educação para prefeitos aliados.

O sigilo de no máximo cem anos, decretado em resposta a pedidos de informação do governo, está previsto na lei que acabou com o sigilo eterno de documentos oficiais — a Lei de Acesso à Informação. Ela foi sancionada em 2011 pela então presidente Dilma Rousseff — e foi assinada junto com a lei que criou a Comissão da Verdade.

No artigo 31, a lei prevê que informações pessoais relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem tenham acesso restrito pelo prazo de até cem anos.

Também está lá um trecho que busca conter o uso dessa medida: o texto diz que a restrição de acesso de "informação relativa à vida privada, honra e imagem de pessoa não poderá ser invocada com o intuito de prejudicar processo de apuração de irregularidades em que o titular das informações estiver envolvido, bem como em ações voltadas para a recuperação de fatos históricos de maior relevância".


Em meio à pandemia de Covid-19, Bolsonaro questionou a eficácia e segurança das vacinas — e seu cartão de vacinação foi colocado em sigilo. — Foto: Ernesto Carriço/ Nurphoto via Getty Images

Para o advogado Bruno Morassutti, fundador da agência especializada em transparência Fiquem Sabendo, pessoas que ocupam importantes cargos públicos, como a Presidência da República, não devem ter o mesmo nível de proteção de sua privacidade que cidadãos comuns.

Desse forma, ele avalia que o governo Lula poderá sim revisar com facilidade os sigilos decretados pela gestão Bolsonaro.

"O presidente poderia, diante de alguns casos concretos, determinar a abertura das informações, já que ele é o chefe do Poder Executivo e tem competência jurídica para fazer isso. Ou, eventualmente, ele pode orientar o ministro da Transparência e os membros da Comissão Mista de Reavaliação de Informações a revisar essas decisões de acordo com critérios que ele estabelecesse", afirma.

A Comissão Mista de Reavaliação de Informações (CMRI) é um órgão colegiado composto por nove ministérios: Casa Civil, Justiça e Segurança Pública, Relações Exteriores, Defesa, Economia, Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Advocacia-Geral da União e Controladoria-Geral da União.

Além dessas ações, Morassutti também diz que o governo pode alterar o decreto que regulamenta a LAI ou enviar uma proposta de alteração da lei ao Congresso para que seja adotada uma nova redação que impeça um uso inadequado do sigilo.

"A lei, interpretada da forma correta, não permitiria esse tipo de sigilo. Acontece que ela foi interpretada de uma forma que a torna muito restrita. É uma visão que não interpreta a lei junto com o restante da legislação e com o que a Constituição diz sobre acesso à informação pública", ressalta.

Na sua avaliação, o potencial de impacto do fim desses sigilos vai depender do que for revelado.

No caso das visitas dos filhos do presidente ao Palácio do Planalto, por exemplo, o advogado acredita que há um interesse em saber se houve alguma atuação em encontros com ministros que poderia ser enquadrada como advocacia administrativa, que consiste no crime de patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública.


Governo impõe sigilo de 100 anos sobre acesso de filhos de presidentes ao Planalto; Ana Flor comenta

Os inquéritos contra Bolsonaro

Bolsonaro enfrenta acusações de interferir na Polícia Federal, órgão que tem inquéritos abertos contra o presidente e seus filhos. Uma dessas investigações apura acusações de interferência levantadas pelo ex-ministro Sergio Moro em 2020, quando pediu demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Assim que assumir o cargo, em primeiro de janeiro de 2023, o petista poderá nomear um novo diretor-geral para a Polícia Federal. O novo chefe da instituição, por sua vez, deve escolher novos nomes para postos chaves, como as superintendências regionais.

A troca de comando da Polícia Federal é outra decisão que pode afetar a família Bolsonaro ao garantir autonomia às investigações. — Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil via BBC

Para o professor de direito penal da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Davi Tangerino, a gestão petista não vai promover uma "perseguição" à família Bolsonaro, tentando direcionar a atuação da PF contra o antigo clã presidencial, mas deve dar autonomia para que a polícia toque as investigações que julgar pertinentes.

Tangerino lembra que os governos do PT garantiram independência a órgãos de investigação, algo que até expoentes da operação Lava Jato já reconheceram, como o próprio Moro.

"É certo que o governo na época tinha inúmeros defeitos, aqueles crimes gigantescos de corrupção que aconteceram naquela época, mas foi fundamental a manutenção da Polícia Federal para que fosse feito o bom trabalho, seja de bom grado ou por pressão da sociedade, mas isso (a autonomia) foi mantido", disse o ex-juiz da Lava Jato, ao deixar o governo Bolsonaro.

Atualmente, há quatro inquéritos autorizados pelo STF em que o presidente é investigado pela Polícia Federal por suspeitas de diferentes crimes:

Sobre divulgação de notícias falsas sobre a vacina contra covid-19 (INQ 4888);
Sobre vazamento de dados sigilosos sobre ataque ao TSE (INQ 4878);
Inquérito das fake news, sobre ataques e notícias falsas contra ministros do STF (INQ 4781);
Sobre interferência na Polícia Federal (INQ 4831).

Bolsonaro sem foro

Bolsonaro também enfrenta as acusações de crimes feitas pela CPI da Covid, que estão em apuração pela Procuradoria Geral da República (PGR).

No entanto, a partir do momento em que deixar a Presidência da República, Bolsonaro perde o foro privilegiado e passa a responder por suspeitas na Justiça Comum.

A Polícia Federal poderá continuar as investigações sem autorização do Supremo. As apurações que estão sendo feitas pela Procuradoria Geral da República passarão para a competência de instâncias inferiores do Ministério Público. Os processos no TSE passam para o TRE da região onde houve a suspeita.

Se o Ministério Público decidir fazer uma denúncia contra Bolsonaro, ele será julgado por um juiz de primeira instância.

Uma exceção a essa regra, porém, pode ocorrer no caso do inquérito das fake news, já que nesse caso pessoas sem foro privilegiado estão sendo investigadas no STF, suspeitas de ataques contra a própria Corte e o Estado Democrático de Direito.

Enquanto Bolsonaro perderá o foro privilegiado, seus filhos Eduardo Bolsonaro (deputado federal) e Flávio Bolsonaro (senador) continuam tendo foro especial no STF em casos de supostos crimes relacionados ao seus mandatos. Eduardo Bolsonaro é alvo também do inquérito das fake news.

Dessa forma, ambos podem ser afetados por uma provável mudança no comando da PGR, que hoje é chefiada por Augusto Aras, visto como um aliado do presidente. Seu mandato acaba em setembro.

Quando Lula foi presidente entre 2003 e 2010, sempre escolheu como Procurador-Geral da República o primeiro de uma lista tríplice elaborada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). O petista inaugurou essa tradição, vista como determinante para garantir a independência do Ministério Público Federal.

Dilma Rousseff manteve o procedimento, enquanto Michel Temer nomeou a segunda pessoa da lista tríplice. Já Aras foi nomeado por Bolsonaro sem ter sido selecionado para a lista da categoria.

Lula não se comprometeu na campanha a respeitar novamente a lista, mas Davi Tangerino acredita que ele pode resgatar a tradição, já que a escolha de Aras acabou gerando um desgaste grande para o Ministério Público Federal.

"Foi Lula quem começou (a nomear o PGR pela lista tríplice). Por que mudar agora, justamente para substituir um Procurador-Geral sobre quem sempre pesou a acusação de ser muito dócil com quem o indicou? Eu acho que é um ônus que o Lula não precisa", avalia o professor da FGV.

Flávio Bolsonaro, por sua vez, é alvo de investigação por um suposto esquema de rachadinha (desvio de recursos) em seu antigo gabinete de deputado estadual no Rio de Janeiro. Essa investigação, porém, tramita na Justiça do Rio.

- Este texto foi publicado em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-63456431

Levantamento inédito aponta que 12% dos brasileiros adultos são LGBT



A pesquisa foi feita pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) junto com a Universidade de São Paulo (USP); assexuais correspondem a mais de 5% do resultado

Levantamento inédito aponta que 12% dos brasileiros adultos são LGBT

A pesquisa tem pioneirismo por incluir pessoas assexuais

O mapeamento feito pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Universidade de São Paulo (USP), publicado na revista científica ‘Nature Scientific Reports’, aponta que 12% das pessoas adultas do Brasil se declaram assexuais, lésbicas, gays, bissexuais e transgênero. O percentual corresponde a 19 milhões de brasileiros, segundo os dados populacionais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre o total de 12%, pouco mais de 5% são assexuais , 2,12% são bissexuais , 1,37% é gay, 0,93% lésbica , 0,68% é transgênero e 1,18% são de pessoas não-binárias . A pesquisa fez o mapeamento a partir de uma amostra representativa da população, similar ao método utilizado nas pesquisas eleitorais, por exemplo.

Ao todo, 6 mil pessoas maiores de 18 anos foram entrevistadas em 129 cidades das cinco regiões do Brasil. Esse tipo de levantamento é inédito na América Latina e mostra um passo adiante na evolução das pesquisas voltadas à comunidade LGBTQIAP+.
Aqui o preconceito não tem vez! As novidades da semana do universo LGBTQIA+

Os resultados batem de frente com a pesquisa do próprio IBGE, que aponta que 1,2% da população se declara gay e 0,7% bissexual. Neste caso, as identidades trans não fizeram parte do levantamento, tampouco a assexualidade – que já é muito invisibilizada dentro da própria comunidade.

O que causa as estrias? Veja dicas para tratar as marcas no corpo

Pexels/Reprodução


Popularmente conhecida como estria, as “striae distensae” são alterações de pele alongadas, que podem ser onduladas, salientes, planas ou deprimidas. Sua coloração é inicialmente avermelhada (estrias rubras) e com o tempo, elas evoluem para a cor branca (estrias albas).

Em um bate-papo com Wesley Ferreira, dermatologista da clínica Singular Medicina e Ensino, ele compartilha dicas de como tratar as marcas na pele. Confira:

“Estrias são um problema estético comum, porém com potencial para grande impacto psicossocial e podem interferir muito na vida do indivíduo. Além disso, por vezes elas refletem uma situação patológica interna, como um efeito colateral ao uso de medicamentos”, aponta.

Consequências do crescimento ou aumento rápido de regiões do corpo, são exemplos de causas de estrias: o estirão de crescimento da puberdade, a gestação, ganho de peso, musculação, cirurgia de aumento de mamas e até mesmo síndromes raras.

“Em termos gerais, as estrias são mais comuns em mulheres, exceto pelas estrias de crescimento, que ocorrem mais no sexo masculino” explica o dermatologista.

Para tratar as estrias, Wesley indica lasers e microagulhamento “Os lasers são um exemplo de tratamento altamente eficaz para amenizar a aparência das alterações. Da mesma forma, o microagulhamento tradicional associado a peelings e estimuladores de colágeno injetáveis”, sugere.

Para os casos mais extremos e difíceis de amenizar, existe mais uma opção: “Entre os tratamentos mais modernos disponíveis no mercado, o que se destaca é a radiofrequência microagulhada chamada Morpheus8. É um aparelho de ponta proveniente de Israel que dispõe de delicadas agulhas banhadas a ouro e recobertas por silicone que promovem melhora importante do aspecto das estrias e de toda a pele ao redor”, apresenta.

quarta-feira, 2 de novembro de 2022

Fazer muito sexo oral causa rouquidão? Entenda boato sobre voz de Lula



Médico responde dúvida que surgiu após boato de que voz rouca do presidente eleito seria por conta da prática excessiva de sexo oral

Jonathan Storey

Na última semana, em meio às eleições, surgiu um rumor que envolvia o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com o boato, o motivo da voz rouca do político seria o fato de que ele praticaria muito sexo oral em Janja, sua esposa. Mas, isso é possível?

Segundo o médico otorrino Jefferson Pitelli, pode acontecer. Contudo, diferentemente do que a maioria pode imaginar, o sintoma não seria causado pela prática em si.


“A prática do sexo oral desprotegido pode levar à transmissão de algumas doenças que levem a pessoa a ficar rouca. Alguns tipos de HPV, por exemplo, se ligam facilmente a mucosas respiratórias, principalmente tecidos a boca e cordas vocais, levando à rouquidão”, explica.

Ou seja, a prática por si só ou a frequência com a qual ela é feita não consegue levar ninguém a ficar rouco, a não ser que haja transmissão de uma IST.


Camisinha no oral

Infelizmente, as pessoas ainda veem os preservativos apenas como uma forma de prevenir uma gravidez indesejada. Contudo, uma das maiores preocupações deveriam ser as IST’s – que, vale lembrar, apenas são evitadas com camisinha.

A proteção também é obrigatória quando se trata de sexo oral, algo que pouca gente se lembra de fazer. No mercado, já existem, inclusive, diversas opções com sabores e géis beijáveis para deixar o oral mais seguro e gostoso.

Metrópoles.

quinta-feira, 20 de outubro de 2022

FALANDO DE POLITICA COM O PROFESSOR JOAO MACIEL


Por comida, homem troca esposa com cunhado e agora ela se recusa a voltar


O caso aconteceu no ZImbábue e será resolvido pelo chefe da aldeia dos envolvidos na confusão

Passando por dificuldades financeiras, um homem decidiu realizar um “empréstimo” nada convencional: entregou a própria esposa ao cunhado viúvo e recebeu, em troca, dinheiro e comida. O caso aconteceu no Zimbábue, África.

Desesperado e com a “corda no pescoço”, o homem aceitou o acordo do cunhado. O viúvo havia proposto pagar pela comida de sua família, escola das crianças e pela bebida dele e, em troca, receberia visitas noturnas de sua mulher.


Ocorre, no entanto, que a mulher trocada pelo companheiro não quer voltar para o antigo marido. Segundo o Daily Star, a mulher afirma que seu novo parceiro “é um melhor amante”.

Ela, inclusive, teria espalhado para a aldeia onde moram que o ex “não dura mais de um minuto de cama”.

Houve até acusação de que um estaria usando “feitiços” para conquistar a mulher do outro. A confusão foi parar no chefe da aldeia, que, agora, decidirá o futuro do conturbado relacionamento.

Mulher vai para hospital após cobra entrar pela boca enquanto ela dormia



O caso ocorreu na Rússia e deixou os profissionais de saúde em choque

Uma cobra com cerca de 1 metro foi removida da garganta de uma moradora da aldeia Levashi, no Danguestão (Rússia). A serpente havia entrado na boca da mulher enquanto ela dormia, de acordo com o jornal Daily Mail.

A russa passou a ficar indisposta e teve incômodo na garganta, por isso foi levada às pressas para o hospital. No local, profissionais de saúde a deixaram sob anestesia geral a fim de averiguar o que havia de errado.

A cobra foi colocada em um baldeReprodução

Os médicos retiraram uma cobra de dentro de uma mulherReprodução

O animal estava na garganta delaReprodução

O bicho tinha cerca de 1 metroReprodução


E havia entrado pela boca da russa enquanto ela dormiaReprodução

A cobra foi colocada em um baldeReprodução


Os médicos retiraram uma cobra de dentro de uma mulherReprodução
1
Os médicos inseriram um tubo pela boca da mulher e conseguiram retirar o animal. Em vídeo feito dentro do consultório, os profissionais ficam assustados com a cobra.

Não foi informado se o animal estava vivo no momento da remoção. Algumas pessoas deduziram que o bicho se trata de um verme ou parasita gigante, mas especialistas discordam devido ao tamanho.

Mulher bebe esperma do namorado na esperança de combater coronavírus




A personal trainer passou a beber sêmen há três anos e acredita que o líquido ajuda no sistema imunológico

A jovem personal trainer Tracy Kiss, de 32 anos, viralizou nas redes sociais ao mostrar uma receita para lá de bizarra em seu canal no YouTube. Ela revelou aos fãs que bebe o sêmen do namorado para combater o coronavírus.

Ela relatou ter passado a ingerir esperma há três anos e, desde então, não teve um resfriado sequer. No vídeo, publicado em março deste ano, mas que só chegou a viralizar nessa semana, Tracy ainda mostra como armazena o sêmen: em uma bandeja simples de gelo. Ela ingere os cubinhos diariamente.

O que você acha disso?

Tracy Kiss bombou no YouTube com uma "receita" bizarraReprodução

Ela contou que bebe o sêmen do namoradoReprodução

E diz que o hábito ajuda no combate ao coronavírusReprodução

Tracy defendeu o consumo de espermaReprodução

O que você acha disso?


“Encontrei um método alternativo gratuito e vegano para aumentar o sistema imunológico do corpo.Você nem sempre sabe o que há na medicina farmacêutica – é muito melhor para o corpo beber algo que não contém produtos químicos”, disse ela.

“Não é muito diferente de uma mãe amamentar seu recém-nascido para fornecer os nutrientes de que precisam”, declarou ainda Tracy, que bombou na internet com o preparo nada convencional.

Homem processa chefe que soltava pum seis vezes por dia ao seu lado




Na ação, ele pede o equivalente a R$ 10 milhões por danos. O processo aguarda julgamento

Um homem da cidade de Melbourne, Austrália, entrou na Justiça para tentar receber o valor de cerca de R$ 10 milhões do seu antigo chefe. Isso porque David Hingst, 56 anos, acusa Greg short de soltar pum, pelo menos, seis vezes por dia ao lado dele. Os dois trabalhavam em um escritório de engenharia.

“Eu ficava sentado olhando para a parede. A sala era pequena e não tinha janelas. Ele peidava atrás de mim e sai da sala. Fazia isso de cinco a seis por dia”, contou David ao juiz na primeira audiência realizada no ano passado. Além dos gases, David alega, segundo o jornal Daily Mail, que Greg era abusivo e fazia gestos depreciativos perto dele.

Ainda de acordo com a vítima, o chefe fazia isso para que ele pudesse pedir demissão. Como defesa, Greg disse que era chamado de senhor Fedor e que David havia jogado desodorante nele. O caso está na Corte de Apelação e aguarda julgamento.

Médicos encontram tartaruga morta em vagina de paciente



Médicos encontram tartaruga morta em vagina de paciente
Devido às circunstâncias, a Vigilância Sanitária foi chamada para avaliar o caso

Os médicos da cidade de Arona, Tenerife, Espanha, ficaram chocados após uma paciente dar entrada na emergência do Hospital del Sur. Segundo informações da imprensa local, depois de uma festa, uma jovem começou a sentir fortes dores na área genital. Como o problema não passou com o uso de remédios, ela deu entrada no centro clínico.

Segundo o jornal Eldía.es, a mulher, de origem britânica, passou por vários exames. Neste momento, os médicos encontraram uma tartaruga morta dentro da sua vagina. Depois de retirarem o animal de lá, foi constatada uma séria infecção no local.

Ainda de acordo com a publicação, devido às circunstâncias, a Vigilância Sanitária foi chamada para avaliar o caso. Os agentes tomaram o depoimento da cidadã britânica, que disse que estava em uma festa, mas não sabe como a tartaruga foi parar lá. A mulher já passa bem.

Mulher com 1,5m de bumbum diz que suas curvas são todas naturais



"Sou um tópico de conversas agora. Apareço na televisão, vou a eventos. Eu amo minhas curvas", diz a jovem

O corpo de uma mulher da Costa do Marfim, África, tem chamado a atenção da internet. Eudoxie Yao, da cidade de Abidjan, pesa 94kg e tem 1,5m de bumbum. Nas redes sociais, a jovem, que não quer revelar a idade, diz que nunca fez nenhuma plástica e que tudo no seu corpo é natural.

“Nunca fiz nenhuma modificação. Nunca na minha vida. Sempre fui desse jeito. Meus avós tinham uma bunda tão grande quanto a minha”, disse Eudoxie ao jornal Daily Mail. Segundo ela, quando sai de casa para ir às compras todos a olham com surpresa e um pouco de choque. “Eu para o trânsito. As pessoas me encaram, mas nunca dizem nada na minha cara”, afirmou.

A gente não sabe mais o que escrever na legenda, apenas olhar

Edoxie é da Costa do Marfim e começou a fazer sucesso pelo seu corpo com medidas generosas

A jovem, que não quer divulgar a idade, diz que tudo é natural

Edoxie pesa 94kg e tem 1,5m de bunda

A mulher afirma que isso tudo é de família, já que os avós dela também tem um corpo parecido

Com a fama nas redes sociais, Edoxie passou a ir a programas de televisão e festas

Ela diz que suas medidas são de parar o trânsito

"Juro que nunca fiz nenhuma plástica", diz a garota
A gente não sabe mais o que escrever na legenda, apenas olhar

Edoxie é da Costa do Marfim e começou a fazer sucesso pelo seu corpo com medidas generosas

Sósia de Bruna Marquezine faz sucesso com bumbum considerado perfeitoEudoxie não tem vergonha do corpo. “Eu uso muitas roupas apertadas. Não gosto de vestimentas grandes”, disse. Segundo a jovem, ela virou uma celebridade de sucesso. “Sou um tópico de conversas agora. Apareço na televisão, vou a eventos. Eu amo minhas curvas”, explica.