CONTATO

João Maciel Cel/WhatsApp: (68) 99963-7272 Email: joaomacieltk@gmail.com

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Mulher diz ter engravidado do bode do vizinho enquanto marido trabalhava


Caso teria acontecido na cidade de Ouro Preto, no interior do Estado da Paraíba

José Pedro estava a 4 anos trabalhando no garimpo, juntando dinheiro para casar e quando retornou encontrou a noiva Márcia grávida.

O caso aconteceu em Ouro Preto, interior da Paraíba, de acordo com Márcia de 17 anos, as vezes a noite saía para dormir na varanda da casa, como é de costume no interior, segundo ela o bode “Betão” do vizinho pulou o cercado e teria se aproveitado dela enquanto dormia.

“Eu acordava toda molhada e vermelha, isso pode ter acontecido mais de 3 vezes”

José Pedro, de 47 anos, 20 anos mais velho que a noiva, procurou o Pastor da sua Igreja para relatar o acontecido. O pastor disse confiar plenamente em sua obreira e que ela foi realmente abusada pelo “Betão” o bode do vizinho, e mesmo ela estando gravida ainda continua virgem.

Já o pai de Márcia, disse que desconfiava que a filha tinha um chamego com o bode, mas achou que era apenas carinho de ser humano para animal de estimação. “Ela dormia na cama com o bode, mas não imaginei que eles faziam algo demais”, disse o pai.

“Passei 4 anos trabalhado no garimpo e quando voltei encontrei minha noiva grávida, mas continua virgem esperando o tão sonhado casamento da gente”, disse José Pedro, bastante emocionado.

Os pais do noivo não acreditaram muito. “Quando falo pra ela ir ao médico ela chora, faz escândalo, dizendo que não precisa. Acho estranho o comportamento dela”, disse a sogra.

Após o desespero dos homens com medo de suas esposas serem engravidadas pelo bode, Betão teve que ser castrado.

Do Portal do Agreste

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

TSE firma parceria com WhatsApp para combater a disseminação de fake news


Tribunal Superior Eleitoral também oficializou colaboração com Facebook e Instagram

TSE firma parceria com WhatsApp para identificar disparos em massa, robôs e banir contas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anunciou, nesta quarta-feira (30), uma parceria com WhatsApp, Facebook e Instagram para combater a disseminação de fake news, de disparos em massa, e para divulgar medidas de segurança para o combate ao Covid-19 durante as eleições municipais de novembro.

No evento virtual, que contou com a participação do presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, e de representantes das três redes sociais, foi comunicado que o WhatsApp disponibilizará um canal de comunicação para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que é proibido.

"O TSE será a primeira autoridade eleitoral do mundo a ter um chart bot dentro do aplicativo, que permitirá aos eleitores interagirem com o Tribunal Superior Eleitoral no Whatsapp. Haverá um canal específico para que a Justiça Eleitoral e cidadãos possam denunciar contas suspeitas de fazerem disparos em massa. Recebida a denúncia, o Whatsapp conduzirá uma apuração interna para verificar se as contas indicadas violaram as políticas do aplicativo. E, se for o caso, irá bani-las", explicou Aline Osorio, secretária-geral do TSE.

Foi anunciada ainda parceria com Facebook e Instagram para ajudar a divulgar iniciativas para o combate às fake news e medidas de segurança para o enfrentamento ao Covid-19 na eleição municipal deste ano.

"Buscamos enfrentar o que tem sido chamado de comportamentos inautênticos coordenados: uso de robôs, perfis falsos, circulação em larga escala de notícias deliberadamente falsas. E enfrentar sem criar um novo mal que, seria a censura. A revolução tecnológica digital resultou nessa difusão dos computadores e no surgimento da internet. É importante impedir que as redes sociais, que têm um papel agregador, sejam utilizadas muitas vezes com maus propósitos, seja para vantagem ilícita, difamar pessoas e destruir componentes essenciais à democracia", disse Barroso.

Eleitor poderá justificar falta pelo celular


Justificativa poderá ser dada por meio de celulares e tablets com utilização do aplicativo e-título de forma gratuita

Justificativa poderá ser feita por aplicativo

As lojas de aplicativo de celular (app) colocam à disposição nesta quarta-feira (30) uma nova versão do e-Título com mais funcionalidades. O recurso eletrônico possibilitará a justificativa de ausência nas votações de 15 de novembro (1º turno) e 29 de novembro (2º turno) , até 60 dias após cada pleito, por meio dos celulares e tablets.

Até as eleições, o e-Título estará atualizado para que as justificativas possam ser apresentadas a partir do dia da votação por quem não compareceu - por estar fora do domicílio eleitoral ou impedido de ir à zona eleitoral.O e-Título, desenvolvido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), também permite ao cidadão gerar certidões de quitação eleitoral e de nada consta de crimes eleitorais, além de fazer a autenticação de documentos da Justiça Eleitoral.

O acesso ao aplicativo é gratuito e funciona em sistemas operacionais Android e iOs . Conforme nota da Justiça Eleitoral, para baixar o aplicativo, basta procurá-lo na loja de aplicativos do seu dispositivo móvel ou acessar o hotsite do título de eleitor no Portal do TSE.
Justificativa obrigatória

Nas eleições de 2018, 29,9 milhões de pessoas no primeiro turno e 31,3 milhões de pessoas no segundo turno deixaram de votar. Quem até hoje não justificou deve emitir o boleto para quitação de multas nos sites do TSE ou dos tribunais regionais eleitorais. A justificativa é obrigatória.

O pagamento deve ser feito pela Guia de Recolhimento da União (GRU) no Banco do Brasil. Depois de fazer o pagamento, o cidadão deve aguardar a identificação do recolhimento da multa pela Justiça Eleitoral e o registro na inscrição pela zona eleitoral. Essas informações estarão disponíveis pelo e-Título.As soluções e os procedimentos acessíveis pelo documento também podem ser acionados pelo site ou pessoalmente nas seções eleitorais. O TSE orienta que em caso de urgência para a regularização da situação eleitoral, o cidadão deve entrar em contato com a zona eleitoral onde está inscrito para orientações sobre a baixa da multa no sistema.

Conforme a Justiça Eleitoral, o cidadão que não votar por três pleitos, nem justificar ausência, nem pagar as multas devidas terá o título cancelado.

Anteprojeto de Lei de Jenilson Leite propõe aquisição da vacina contra a covid-19 pelo governo do Acre

Jenilson Leite atende pacientes com COVID-19 no Pronto Socorro de Rio Branco. Foto: Jardy Lopes

O deputado estadual Jenilson Leite ( PSB), que é médico infectologista, e um dos profissionais da linha de frente no combate ao novo coronavirus, nos hospitais do Estado do Acre, apresentou , na sessão desta quarta-feira (30), um Anteprojeto de Lei que permite ao governo do Estado do Acre fazer a aquisição da vacina contra a covid-19.

O infectologista destaca que muitos estados já tomaram a iniciativa e estão fazendo parceiras para a aquisição da vacina que se encontra na terceira e última fase nos laboratórios russos, chineses e americanos. A vacina russa é que está mais avançada.

O médico destaca que o governador de São Paulo, João Dória, anunciou que até fevereiro de 2021 toda população paulista estará vacinada.

O Instituto Butantã, órgão do governo paulista, em parceira com uma fabricante chinesa de vacina estão na terceira fase do medicamento que vai imunizar as pessoas.

Para Leite, o governo do Acre também precisa buscar parcerias, já que o governo federal está alheio ao assunto. ” A aquisição da vacina deve ser prioridade do governo do Estado do Acre. É a única forma de imunizar as pessoas e salvar vidas”.

Segundo Jenilson, a notícia de que em breve estaremos vacinando as pessoas, é um alento. ” Vivemos um momento de dor, com a perda de amigos e familiares. E essa notícia que estamos na terceira fase para termos algo que vai imunizar as pessoas, é um alento. É um sinal que podemos voltar a normalidade”, disse o médico bastante entusiasmado.

O Acre já tem mais de 27 mil infectados pela covid-19.

assessoria.