CONTATO

João Maciel Cel/WhatsApp: (68) 99963-7272 Email: joaomacieltk@gmail.com

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Por diversão, adolescentes se incendeiam e pulam de ponte


Um grupo de adolescentes está provocando grande repercussão nas redes sociais. Os rapazes atearam fogo ao próprio corpo e, em seguida, pularam de uma ponte para mergulhar em um rio. O caso aconteceu na cidade de Penza, no sudoeste da Rússia, e as filmagens, feitas em ângulos diferentes, foram compartilhadas pelos próprios participantes. Nas imagens é possível ver não só o momento no qual os jovens enchem as roupas de gasolina, como também quando eles pulam de uma altura de pouco mais de seis metros.

“Fizemos isso para ganhar likes nas redes sociais. Pegamos a ideia de um blogueiro, fizemos apostas com nossos amigos e pulamos da ponte para conseguir muitas visualizações”, afirmou um deles em entrevista ao jornal britânico Daily Mail. A publicação lembrou que em nenhum momento os jovens mencionaram o desejo de adrenalina que “sem dúvidas deve surgir quando você pula de uma ponte enquanto está pegando fogo”. Apesar das imagens impressionantes, nenhum adolescente pareceu sair ferido desta “brincadeira” de gosto extremamente duvidoso.

VEREADOR LAURO BENIGNO APRESENTA PROJETO DE LEI QUE AUTORIZA ENTIDADES POPULARES SEM FINS LUCRATIVOS A ULTILIZAREM ESPAÇOS FISICOS DAS UNIDADES DE ENSINO MUNICIPAIS.


Foi sancionado no ultimo mês de outubro de 2020 pelo Executivo Municipal, o projeto de lei 978/2020 de autoria do Vereador Lauro Benigno (PCdoB), o projeto disciplina a utilização dos espaços físicos (quadras, salas, auditórios, pátios e demais) das escolas para uso das entidades sociais e populares sem fins lucrativos.

No projeto o parlamentar defende que estes espaços já vem sendo utilizados há algum tempo, por igrejas, escolinhas de futsal e demais, só que sempre havia reclamação por parte de alguns, com o projeto de Lei, este disciplina o uso destes, bem como a legalidade por ambas as partes.

O mesmo compreende que o trabalho destas entidades é de fundamental importância para sociedade e que estes espaços em sua maioria do tempo ficavam ociosos.

veja o projeto de lei na integra:



quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Jenilson Leite pede ao governo que mantenha o pagamento do auxílio emergencial para servidores de saúde e da área de segurança

Jenilson Leite ( PSB) participando da sessão virtual. Foto: Jardy Lopes

O deputado estadual Jenilson Leite ( PSB) pediu ao governador Gladson Cameli que reconsidere a decisão de suspender o pagamento de auxílio emergencial para servidores da área de saúde e da área de segurança pública. O valor correspondente a quatrocentos e vinte reais.

Com a suspensão do auxílio, a insalubridade será paga somente aos servidores que já recebiam. O deputado lembra que o Acre, segundo especialistas, está na segunda onda da covid-19, e caso o governo mantenha sua decisão, mais de dois mil servidores ficarão sem receber o benefício. ” Os servidores a exemplo dos recepcionistas, fisioterapeuta, da lavanderia, dentre outros, continuam nos seus postos de trabalhos, na linha de frente da covid-19. Então, não é susto suspender o auxílio a essas pessoas. Muitos deles recebem cerca de um salário mínimo para arriscar a própria vida. Por isso peço ao governador Gladson que repense sobre isso”.

O deputado abordou ainda na sua fala, que a secretaria de segurança pública não tem profissionais para o serviço de medicina legal no interior do Acre, ou seja, para fazer exames cadavéricos, desse modo, encarrega os médicos plantonistas da unidades de saúde do interior. ” Muitos pacientes estavam internados na própria unidades e sem cuidado pelo mesmo profissional. E a lei proíbe que o mesmo profissional possa emitir laudo do paciente que ele assistia. ” Então venho aqui pedir que as secretárias de segurança pública e de saúde, junto com sindicato dos médicos, possamos fazer essa discussão. Porque existe profissionais no interior que são capacitados para área de medicina legal. Então, o ideal seria a secretaria destinar algum médico para esta finalidade “, pede o deputado.

ASSESSORIA

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

Enem 2020: candidatos de grupos de risco para Covid podem fazer prova em sala separada; veja como pedir atendimento especial


Solicitação deve ser feita até 7 de janeiro, pela central de atendimento do Inep. Idosos não precisam fazer pedido - já serão automaticamente colocados em salas com menor número de alunos.

Candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 com maior risco de desenvolver a forma grave da Covid-19 podem solicitar atendimento especial na aplicação da prova. Ou seja: asmáticos, obesos e doentes crônicos, por exemplo, têm a possibilidade de ficar em salas com número reduzido de alunos.

Camilo Mussa, presidente substituto do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), afirmou ao G1 que os estudantes podem ligar para a central de atendimento (0800 616161) até 7 de janeiro, quando faltarão 10 dias para o exame.

“É um canal que sempre existiu para o candidato fazer solicitações depois do período de inscrição. Analisaremos os pedidos de quem precisa ficar isolado ou em espaços com menos pessoas”, diz.

Para os idosos, que também são do grupo de risco, não há necessidade de procurar a central. Pela data de nascimento informada na inscrição, o Inep já agrupará os candidatos com mais de 60 anos em salas separadas.

Segundo Mussi, é importante esclarecer que haverá o cuidado geral em reduzir o número de alunos por sala. As solicitações de atendimento especial devem ser feitas apenas por quem realmente precisa, por alguma questão de saúde específica, de um distanciamento social ainda maior.

Mesmo antes da Covid-19, canal já recebia casos especiais

Na própria inscrição, sempre houve a possibilidade de pessoas com deficiência, gestantes, lactantes, idosos ou alunos de classes hospitalares justificarem a necessidade de algum tipo de atendimento específico - como máquina de escrever em braile e cão-guia (para cegos) e bomba de insulina (para diabéticos). Alguns casos, no entanto, não são previstos pelo edital e podem ser resolvidos posteriormente pelo telefone.

“Um candidato que, na edição passada, descobriu que estava com câncer depois da inscrição pôde ligar no 0800 e pedir para fazer a prova em sala separada. A gente é inclusivo”, afirma Mussi.

Neste ano, o mesmo canal será usado para os casos relacionados à pandemia.

Reaplicação do Enem para pacientes com Covid

Pelo edital, pacientes com Covid-19 na data do exame devem informar o diagnóstico pela página do participante até a véspera da prova.

Assim como nos casos de outras doenças infectocontagiosas (coqueluche, difteria, varíola, influenza A e B, sarampo, rubéola, varicela, etc.), o Inep analisará uma possível participação do aluno na reaplicação do Enem impresso, prevista para fevereiro de 2021.

Cronograma do Enem

Solicitação de atendimento especial: até 7 de janeiro
Provas impressas: 17 e 24 de janeiro
Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro
Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)
Resultados: a partir de 29 de março

G1.

Evo Morales assume presidência do partido do governo boliviano


Ex-presidente havia deixado da Bolívia há 1 ano, após ser forçado a renunciar, e voltou ao país depois que seu aliado Luis Arce venceu a eleição presidencial.

O ex-presidente boliviano Evo Morales assumiu na terça-feira (17) a liderança do Movimento ao Socialismo (MAS), partido do atual governo, uma semana após retornar ao país.

O ex-presidente havia fugido da Bolívia há um ano, após ser forçado a renunciar, ficou exilado primeiro no México e depois na Argentina, e voltou ao país depois da vitória do MAS na eleição presidencial de outubro.

"Avaliando os resultados das eleições e outros temas, por consenso decidimos que a partir deste momento Evo assume a presidência do Movimento ao Socialismo", declarou o próprio Morales em coletiva de imprensa em Cochabamba.

Evo é o chefe dos sindicatos de cocaleiros da região de Chapare, em Cochambanba, mas havia passado as rédeas do partido a outros dirigentes. Mesmo assim, continuou no papel de líder indiscutível do grupo político, que voltou ao poder na Bolívia.

O ex-presidente governou o país entre 2006 e 2019 e renunciou logo após vencer a eleição para mais um mandato, em novembro do ano passado, em meio a acusações de fraude pela oposição.

De Buenos Aires, Evo atuou até como gerente de campanha e foi responsável pela nomeação do ex-ministro da Economia Luis Arce e do ex-chanceler David Choquehuanca como candidatos do MAS à presidência e à vice-presidência.

O MAS venceu a eleição no primeiro turno com 55% dos votos, Arce tomou posse no dia 8 de novembro e Evo voltou ao país no dia seguinte.


Evo Morales é recebido por multidão ao retornar à Bolívia

As fraudes alegadas pela oposição na eleição do ano passado não foram comprovadas. Um estudo independente dos dados da Organização dos Estados Americanos (OEA) concluiu que houve falhas na apresentação dos resultados.

Segundo os pesquisadores, a conclusão de que os votos de Evo Morales tiveram um salto inexplicável no final da apuração se baseou em dados incorretos e técnicas estatísticas inadequadas.

A conclusão da OEA – que participou como observadora do pleito – foi uma das principais evidências usadas pela oposição para alegar que houve fraude eleitoral.

G1.