CONTATO

João Maciel Cel/WhatsApp: (68) 99987-8080 Email: joaomacieltk@gmail.com

quarta-feira, 3 de junho de 2020

“Qualquer medida de afrouxamento do isolamento social é uma medida a favor da morte”, dispara Edvaldo Magalhães


Da redação do Notícias da Hora 02 Junho 2020

No dia em que um grupo de empresários planeja uma carreata pedindo o fim do isolamento social e a retomada das atividades, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) fez uma explanação dura e real da situação em que se encontra o Acre neste momento. Ele disse que qualquer medida contrária ao isolamento social “é uma medida a favor da morte”.

O parlamentar citou que em Tarauacá, o município registra 300 casos da Covid-19 e em Cruzeiro do Sul este número é assustador, mil casos confirmados da doença. Isso tudo, coloca o Acre em um cenário nada animador. Ele citou que não há ainda a perspectiva do achatamento da curva de contágio, mas sim a sensação do crescimento descontrolado da pandemia. O Acre já registra 161 óbitos e mais de 6.326 casos.

Por outro lado, Edvaldo Magalhães disse que é preciso que o Estado estenda a mão aos comerciantes, com a flexibilização da cobrança do ICMS. Nesse sentido, uma audiência pública, a pedido do deputado, será realizada com representantes do governo e do Comércio para discutir o assunto. Entretanto, a matéria do governo que discutiria esse assunto foi retirado de pauta.

“O que temos para o debate é uma pandemia que se alastra, que acelera o crescimento. E não há nenhuma sinalização que estamos estabilizando ou achatando a curva. Qualquer medida de afrouxamento do isolamento social é uma medida a favor da morte. É uma medida contra a proteção da saúde do nosso povo. Nós temos mais de 90% dos leitos de Uti ocupados no Estado do Acre. As cidade que estão flexibilizando são aqueles que estão com 70% a 75% dos leitos de UTI ocupados. Nesse sentido, eu penso que se deu um lado é preciso vigiar, garantir o isolamento social, por outro lado é necessário construir um entendimento com o setor do comércio, que após esse período crítico possamos estender a mão ao setor que mais emprega”, disse o parlamentar

Nenhum comentário:

Postar um comentário