CONTATO

João Maciel Cel/WhatsApp: (68) 99987-8080 Email: joaomacieltk@gmail.com

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Sem convencer, Rio Branco Football Club empata, mas avança na Copa Verde


Diante de 160 pagantes o Rio Branco FC empatou com o São Raimundo RR por 2 a 2 na noite de hoje (21) na Arena da Floresta e se classificou para a próxima fase da Copa Verde.

Adriano Chuva e Mateus Nego marcaram os gols do Estrelão. Juca e Romanelli fizeram os gols dos visitantes.

No primeiro tempo o Estrelão até que atuou bem. Criou chances e abriu o placar.

Na etapa final mesmo vencendo o técnico Cristian Souza fez três alterações que fizeram despencar o rendimento do time

Os visitantes cresceram e por muito pouco não empataram.

Com o empate,o Estrelão avança e encara agora o Manaus FC

Atlético eliminado

Jogando em Macapá o Atlético perdeu por 2 a 1 para o Santos e acabou eliminado da Copa Verde.

O estranho caso do mergulhador cujo corpo começou a inchar inexplicavelmente

Alejandro Ramos ficou deformado após um acidente a mais 30 metros de profundidade, um caso que os médicos nunca haviam visto antes e, agora, investigam se é decorrente de um mal congênito ou uma sequela desconhecida deste tipo de atividade.

lejandro Ramos não chega a ter 1,60 metro de altura, mas usa camisetas que poderiam ser de uma pessoa bem maior. Seus ombros mal cabem nas mangas ou nas da jaqueta azul que um amigo adaptou com tecido da mesma cor para que seus braços pudessem entrar.

Ramos, ou Willy, como é chamado por sua família, mostra o presente com orgulho no quarto que ocupa no Centro Médico Naval, na capital do Peru, Lima, desde dezembro, quando a Marinha decidiu estudá-lo.

Seu caso é inédito na história do mergulho, atividade que pratica em sua profissão. Há quatro anos, minutos após ter emergido da água, seu corpo começou a inchar, mantendo-se assim desde então.

Dos cotovelos para baixo, seus braços poderiam ser os de qualquer outro homem de 56 anos saudável. São seus bíceps, com 62 e 72 cm de circunferência, que atraem os olhares e fazem com que ele tenha vergonha de sair na rua.

As protuberâncias se fundem com seus ombros. Seu peitoral inflado cai sobre seu estômago – suas costas, cintura e coxas também têm um volume maior do que o normal. Ao fator estético, somam-se a dor nos ossos e o chiado em seu peito toda vez que respira.

Até a bexiga aguentar

Willy está convencido de que tudo isso são sequelas de um acidente de trabalho no fim de 2013, enquanto mergulhava a mais de 30 metros de profundidade em busca de mexilhões presos a penhascos e barrancos submarinos.

Os mergulhadores como ele trabalham de forma artesanal e passam horas desprendendo e coletando os moluscos antes de voltar à superfície. O tempo que passam submersos em meio a frias correntes marítimas é determinado por sua "necessidade de urinar", como explicam vários profissionais de Pisco, cidade pesqueira 230 km ao sul da capital peruana, Lima.

Willy diz que aguentava por até oito horas. "Subia para urinar às vezes, mas achava que era uma perda de tempo", recorda-se. Esvaziar a bexiga a tal profundidade não é uma opção quando se usa um traje feito com câmaras de pneus de caminhão.

O mergulhador usava um traje feito com borracha de pneu de caminhão (Foto: V. M. Vásquez)

Os mergulhadores mais jovens preferem usar roupas de neoprene, que custam em média US$ 200 (R$ 650), mas, para um pescador de mexilhões, elas não duram nem quatro meses, segundo Enrique Quino, um artesão de Pisco que desmonta rodas para fabricar os trajes de borracha, pelos quais cobra US$ 183 (R$ 596) e que, segundo ele, duram por três ou quatro anos.

O traje é composto por uma jaqueta e uma calça tão grandes que dentro cabem o pescador e várias outras camadas de roupas de frio. Inclui pés de pato, máscara e um cinto de chumbo que os ajuda a afundar.

O acidente

Assim estava vestido Willy quando, quase ao final de sua jornada de trabalho, ele notou que a mangueira em sua boca havia começado a roubar seu ar em que vez de fornecê-lo. "Todo mergulhador sabe o que isso significa."

Um mergulhador nunca sai sozinho para pescar. Tripulantes vários metros acima de sua cabeça se encarregam de receber o produto coletado e colocar gasolina em uma máquina a cada 90 minutos.

O equipamento comprime o ar e o envia ao mergulhador por meio de uma mangueira. A maioria dos pescadores de marisco peruanos não usa reguladores, um acessório que garantiria de 10 a 15 minutos de oxigênio em caso de emergência.

Naquela tarde, uma lancha se aproximou demais da embarcação de Willy, em que seu filho e um colega esperavam por ele. A hélice deste barco rompeu a mangueira e obrigou o mergulhador a subir 36 metros de uma só vez. Um trajeto de poucos minutos que podia ter lhe custado a vida.

A princípio, os médicos pensavam que a causa do problema seria nitrogênio preso em seu corpo (Foto: V. M. Vásquez).

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Messi x jejum: Craque do Barcelona tenta quebrar tabu contra o Chelsea

Fera argentina não marcou nas oito vezes que enfrentou os Blues. TV Globo e GloboEsporte.com transmitem o jogo ao vivo

difícil imaginar uma equipe que Messi não tenha marcado gols. São 595 gols na carreira. E de todas as equipes que encararam o gênio argentino, o Chelsea foi a única a conseguir tantos jogos sem nunca ser vazado. Em oito encontros, o argentino jogou os 90 minutos em sete deles, e nunca balançou as redes. Nesta terça-feira, o craque argentino tem nova chance de acabar com este jejum. O Barcelona enfrenta o time inglês em Stamford Brigde, no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões.

A TV Globo e o GloboEsporte.com transmitem a partida ao vivo a partir de 16h45 (de Brasília), e o site terá um pré-jogo que começa 15h45 (de Brasília

O momento é positivo para o craque argentino tentar balançar a rede pela primeira vez diante do atual campeão inglês. A temporada de Messi e do Barcelona têm sido quase perfeita: liderança absoluta e invicta no Campeonato Espanhol e classificação em primeiro lugar na fase de grupos da Liga dos Campeões - em uma chave que contava com a forte Juventus, atual vice-campeã. Na temporada, o atacante soma 26 gols em 33 jogos pelo clube.

G1.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Meus 43 anos de praia por Jamisson Neri,


Eu deveria escrever sobre isso quando os meus cabelos estivessem poucos e brancos. Mas aos 43 anos não sei dizer até quando minha memória guardará cristalinamente aquilo que ainda não esqueci até hoje:

Do som de um tambor de couro de boi enfeitado com bandeirolas, tocado na cadência certa no desfile de 24 de abril e 7 de Setembro na minha querida cidade de Tarauacá, trajando calça azul e blusa branca de tergal e calçando um conguinha. A cadência do desfile era entoada ao som do apito do meu amigo Juracy Mezer (Mano).

Do cheiro de querosene queimando numa lamparina quando a luz apagava as 22h.

Das cores dos papéis de embrulho ou de jornais com os quais encapávamos nossos cadernos e livros na extinta escola Omar Sabino de Paula.

Da embalagem da sandália havaiana, que era uma sacolinha; Da bolacha e do macarrão PAPAGUARA, com um índio fantasiado com seu belo cocar.

Da emoção de calçar um KICHUTE, um CONGA, um BAMBA, um REDLEY ou um DAYTONA pela primeira vez. Do cuidado que se tinha com o Kichute para não gastar as travas e os bidongos no cimento da quadra de futsal da escola João Ribeiro e da Rosaura Mourão da Rocha.

Algumas marcas desapareceram e outras venceram o tempo e embora tenham sofrido mudanças, ainda estão por aí. Dentre tantas, recordo principalmente:

Da lata de aveia QUAKER, com aquela figura de chapéu e cabelos brancos, que não conseguíamos definir o sexo;

Das lâminas de barbear da GILLETE e da WILKHINSON;

Da latinha de FERMENTO ROYAL;

Das latas de LEITE MOÇA, CAMPO VERDE, MOCOCA e NINHO;

Do creme dental KOLYNOS;

Do talco TABU;

De minha mãe que lavava roupas usando umas barras de sabão de aproximadamente 30cm e batia a roupa com um pedaço de pau para afrouxar o sujo apoiada numa tábua na beira do rio;

Das latas grandes que eu enchia de água do rio, ali em frente à antiga serraria do seu Otávio (in memorian), e carregava dependuradas num pedaço de pau apoiado horizontalmente sobre os ombros, pra encher o camburão e o pote lá de casa, pois água encanada não tinha;

Das vezes que eu ia cedinho comprar leite lá em frente à casa do seu Rames Eleamen, e às vezes voltava com a leiteira vazia porque o leite não dava pra todo mundo;

Das vezes que chegava às carreiras da escola João Ribeiro pra ir jogar bola no campo que ficava atrás da casa da Dona Eulina;

Das vezes que ia jogar vôlei num campinho que ficava em frente à minha casa, onde funcionou a serraria do seu Otávio, se divertindo com as CUIADAS do meu velho pai (Zé Neri) e dos gritos do Tio Daniel;

Da cera CACHOPA utilizada para encerar o assoalho usando um saco de estopa, puxando e sendo puxado pelo meu irmão;

Do MIMEOGRÁFO e do PAPEL HECTOGRÁFICO (chamado de estêncil) que era uma revolução na produção cópias, e que muitas vezes eu pegava cópias de prova no camburão de lixo que ficava em frente à escola João Ribeiro;

Do perfume de ALFAZEMA, com aquela moça carregando um tabuleiro de flores num belo campo florido e do perfume CONTOURÉ;

Do óleo azul SINAMON que fazia os cabelos ficarem “sentadinhos”, quando eu ia pro vesperal lá no Clube do Tinha aos domingos;

Do perfume AVANÇO que era o mais conhecido dos EXRATOS;

Dos tecidos de TERGAL, BRIM, TERBRIM, ESTOPA, VOLTA-AO-MUNDO, CHITA, CHITAO, LINHO e MURIM;

Do fósforo FIAT LUX, OLHO, PINHEIRO e ARGOS, (do palito chato), que muitos partiam ao meio dobrando o número de palitos para 80;

Do papeiro, da chaleira e de um coador de café que não faltavam na cozinha;

Da pitisqueira que na frente tinha um pedaço de pano ou plástico para proteger os utensílios de cosinhas;

Das marcas de cigarros ARIZONA, CONTINENTAL, MINISTER, PLAZA, PARLIAMENT, BELMONT (eu que catava e colecionava essas carteiras);

Da goma de mascar CHICLETS, PING-PONG e PLOC;

Do KI-SUCO;

Do tênis REDLEY, BAMBA e DAYTONA;

Da linha de costura ZEBRA, que utilizávamos para soltar papagaios;

Da máquina de costura ELGIN, SINGER ou VIGORELI;

Da eletrola ROUXINOL, do rádio ELETRONIC ou SEMP utilizados com pilhas RAYOVAC e EVEREADY (a pilha do gato);

Das canoas tocada a motores CLINTON, BRIGS STRATTON, (burro-preto), MONTGOMERY, TIETÊ e YANMAR.

Emoções de uma época inesquecível.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

NATO CABELEIREIRO “UM CARA QUE FAZ O BEM”.


Hoje fui cortar o cabelo no salão do meu amigo nato, começamos a bater um bom papo, nato é daqueles cabras tranqüilo, fala mansa, mas de um coração imenso, já há muito tempo mantém um projeto social de escolinha de futebol e futsal “escolinha do Roma”, este não dispõe de muitos recursos mas faz com amor, também não tem ajuda de nenhum órgão público ou privado, apenas do seu esforço em cortar cabelo no seu salão, participam da escola em torno de 80 crianças, e os critérios para participação na escolinhas, alem do bom comportamento é de está bem em suas notas na escola. 

Quando secretário de esporte da prefeitura de Tarauacá, tive a oportunidade de ajudá-lo por algumas vezes, hoje ele reclama muito do poder publico que não o ajuda em nada.

Além da prática local sua escolinha este ainda realiza intercâmbio em outros municípios como a capital Rio Branco, Cruzeiro do sul, Feijó, Guajará mirim no Amazonas e até em porto velho Rondônia, onde este a cada duas vezes no ano leva sua escolinha para participar de um torneio, onde já foram inclusive vice-campeã da competição jogando contra um time de Rondônia.

Fica aqui meu reconhecimento a esse jovem e grande lutador, que com seu pequeno gesto procura dar sua contribuição, para que haja um mundo bem melhor. 

Quem quiser ajudá-lo e contribuir com este projeto social, seu pequeno salão que funciona como sede de sua escolinha, localiza-se em frente ao hotel do quinelato, na avenida Epaminondas Jacomes.







terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

COM GINÁSIO LOTADO, VEC VENCE COOPSERG E CONQUISTA O CAMPEONATO CRUZEIRENSE DE FUTSAL DA 1ª DIVISÃO

A equipe do VEC (Várzea Esporte Clube) venceu o Coopserg pelo placar de 06x04 e conquistou o título do Campeonato Cruzeirense de Futsal da 1ª Divisão. 

A partida final aconteceu na noite desta sexta-feira (09) no ginásio Jáder Machado em Cruzeiro do Sul. 

Os gols da equipe do VEC foram marcados por Valdo (02), Fladson (02) e Raimundo, enquanto Peba, Bergson, Wesley e Bilú marcaram para a equipe do Coopserg. 

Antes da final do Campeonato da 1ª Divisão, aconteceu a final do Campeonato Cruzeirense na categoria Feminino e a forte equipe do Igarapé Preto goleou a equipe da Grota por 06x00 e sagrou-se Campeã. 

Ao todo 22 equipes participaram das competições, sendo 12 no masculino e 10 no Feminino. 

A competição que teve início em meados de dezembro do ano passado, tinha em disputa o troféu Adelcimar Carvalho. Uma homenagem da Liga Cruzeirense de futsal (LCFS) ao jornalista esportivo que há 21 anos mantém um programa de esportes numa rádio local. 

O ginásio coberto ficou lotado para prestigiar as duas partidas. Os vencedores receberam o troféu Adelcimar Carvalho, premiação em dinheiro no valor de R$2000 e R$1000 para os vices e garantiram vaga na Copa dos Campeões, que será disputada em março, com equipes de Cruzeiro, Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Guajará (AM). 

“Mais um trabalho realizado com sucesso no futsal de Cruzeiro do Sul, muito obrigado a todos os desportistas, apoiadores, nossa torcida mais uma vez lotou o ginásio e a nossa equipe de trabalho e Obrigado a Deus que sempre me dê forças para ajudar o esporte da região” destacou o presidente da Liga Cruzeirense Ralide Mourão em sua pagina no facebook após a decisão. 

VEJA FOTOS:




segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

MUITO FELIZ, SÓ BENÇÃOS.


Já estou há algum tempo participando dos cultos na igreja Assembléia de Deus de Tarauacá, aceitei a Jesus durante um acampamento espiritual, ainda no mês dezembro de 2017 veja "https://jmacieltka.blogspot.com.br/2018/01/acampamento-espiritual-peniel-face-face.html", estou muito feliz em está indo a igreja e em ter aceitado a Jesus. Acredito Eu, que tudo já estava escrito, já participei da igreja antes, quando era ainda criança até os doze, treze anos de idade, quando meus avós ainda eram vivos, sendo que meu avô Zeca Rosa era da igreja Batista inclusive um dos fundadores juntamente com doutor Tomé e seu Chico Clóvis, e minha avó era da Assembléia de Deus também uma das fundadores aqui em Tarauacá.

Ao participar dos cultos o que me deixou, mas feliz ainda é poder ver a igreja repleta de jovens adorando a Deus e sabemos nós que do jeito que andam as coisas essa criminalidade etc... Procurar a deus sempre é a melhor solução.

Ainda no acampamento pude encontrar um grande amigo meu de infância Juscélio Meleiro (tétéi), que já havia aceitado a deus em outro momento, e neste domingo pude encontrar na igreja alguns outros amigos meus de infância, o Jarbas Lopes, Francisco (reco), chagas Batistas onde ambos também já aceitaram a Jesus além do amigo Lauro Benigno este ultimo inclusive o responsável de ter me proporcionado o retorno a igreja. 

No mas, só agradeço a Deus, e aproveito pra convidar outros amigos meus a também participarem dos cultos. Amém!!!!!!

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

pegaram o cara errado...kkkkkkk.......

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé

Cidadão foi preso no shopping e ainda reclamou da abordagem dos policiais, dizendo que pegaram o cara errado . kkkkkkkkk.....